033. Jogo das canetas

1. MATERIAIS: cinco canetas (ponde ser iguais ou diferentes entre si), uma mesinha.

2. INSTRUÇÕES:

a. O Diretor explica aos participantes que vai "escrever" números de zero a dez com as cinco canetas sobre a mesinha. Compete ao grupo descobrir como está sendo feito;

b. A média que cada um for descobrindo, comenta com o Diretor sem que os demais ouçam, a fim de não "contaminar" o jogo, podendo colaborar indiretamente;

Nota: Distribuir as canetas sobre a mesinha utilizando-se quaisquer formas (geométricas, assimétricas ou não), desde que não repetitivas. O segredo estará nos dedos da mão, ou seja, é o número de dedos sobre a mesa (0 a 10) que irá determinar. Ex.: Se o Diretor puser três dedos sobre a mesa, independente da distribuição das canetas, o número será três. Esse é um jogo que deve ser muito bem treinado pelo Diretor devendo estar em campo e relaxado, a fim de obter resultados eficazes;

c. Durante o jogo pode-se incluir "dicas" ao grupo (ex.: não é um jogo de inteligência, não usa raciocínio, lógica ou pensamento; olhar o todo; o Diretor faz parte deste todo etc.), levando-os a perceber o "segredo";

d. Comentário sobre a experiência, principalmente as emoções.

Nota: Este jogo suscita sentimentos como raiva, ódio, impotência, frustração, perda etc. e o Diretor deve ser hábil para o processamento desses materiais. Embora possa ser classificado também como um jogo de Sensibilização, recomenda-se sua aplicação somente em grupos que se encontram na Segunda ou terceira fase da Matriz.