Liturgia Diária

Todo aquele que nele crer, tenha a vida eterna

“Deus é amor”. Este é o único jeito de Deus se relacionar com a humanidade, por meio de seu amor vivo e real em seu Filho Jesus Cristo.
Oração diária, Deus deu ao mundo o seu Filho único - Jo 3,14-21
Home Liturgia DiáriaLiturgia 2024 Ano B Todo aquele que nele crer, tenha a vida eterna

4º Domingo da Quaresma – Ano Litúrgico – B

Liturgia do dia 09 de março de 2024

Façamos a oração do dia: Jesus Mestre, que os meus pensamentos se inspirem no Evangelho, e se tornem fontes de vossa luz a iluminar os homens, nossos irmãos.

PRIMEIRA LEITURA: 2Cr 36,14-16.19-23

Leitura do Segundo Livro das Crônicas:

Naqueles dias, 14 todos os chefes dos sacerdotes e o povo multiplicaram suas infidelidades, imitando as práticas abomináveis das nações pagãs, e profanaram o templo que o Senhor tinha santificado em Jerusalém.

15 Ora, o Senhor Deus de seus pais dirigia-lhes frequentemente a palavra por meio de seus mensageiros, admoestando-os com solicitude todos os dias, porque tinha compaixão do seu povo e da sua própria casa.

16 Mas eles zombavam dos enviados de Deus, desprezavam as suas palavras, até que o furor do Senhor se levantou contra o seu povo e não houve mais remédio.

19 Os inimigos incendiaram a casa de Deus e deitaram abaixo os muros de Jerusalém, atearam fogo a todas as construções fortificadas e destruíram tudo o que havia de precioso.

20 Nabucodonosor levou cativos para a Babilônia, todos os que escaparam à espada, e eles tornaram-se escravos do rei e de seus filhos, até que o império passou para o rei dos persas.

21 Assim se cumpriu a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias: “Até que a terra tenha desfrutado de seus sábados, ela repousará durante todos os dias da desolação, até que se completem setenta anos”.

22 No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias, o Senhor moveu o espírito de Ciro, rei da Pérsia, que mandou publicar em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a seguinte proclamação:

23 “Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, deu-me todos os reinos da terra, e encarregou-me de lhe construir um templo em Jerusalém, que está no país de Judá. Quem dentre vós todos pertence ao seu povo? Que o Senhor, seu Deus, esteja com ele, e que se ponha a caminho”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 137(136) 

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião!”

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão!

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

SEGUNDA LEITURA: Ef 2,4-10

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: Deus é rico em misericórdia. Por causa do grande amor com que nos amou, quando estávamos mortos por causa das nossas faltas, ele nos deu a vida com Cristo. É por graça que vós sois salvos!

Deus nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar nos céus, em virtude de nossa união com Jesus Cristo. Assim, pela bondade que nos demonstrou em Jesus Cristo, Deus quis mostrar, através dos séculos futuros, a incomparável riqueza de sua graça.

Com efeito, é pela graça que sois salvos, mediante a fé. E isso não vem de vós; é dom de Deus! Não vem das obras, para que ninguém se orgulhe. 10 Pois é ele quem nos fez; nós fomos criados em Jesus Cristo para as obras boas, que Deus preparou de antemão, para que nós as praticássemos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 3,14-21

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 14 “Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15 para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. 16 Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna.

17 De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.

18 Quem nele crê, não é condenado, mas, quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.

19 Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más.

20 Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21 Mas, quem age conforme a verdade, aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

O povo de Israel saiu do Egito e na travessia do deserto enfrentou muitas dificuldades. Uma delas foi as serpentes venenosas. Muita gente morreu com a sua picada. Foi um castigo por causa das murmurações contra Deus e Moisés. O povo se arrependeu e Moisés intercedeu junto de Deus.

O Senhor mandou que se fizesse uma serpente de bronze e fosse colocada em uma haste. Alguém, picado por uma cobra, olhando para a imagem da serpente, ficava curado. Assim está escrito no Livro dos Números e a este acontecimento Jesus se refere na conversa com Nicodemos, sábio fariseu de Israel. “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também será levantado o Filho do Homem, a fim de que todo o que nele crer tenha vida eterna”, foi o que Jesus disse ao velho Nicodemos. O episódio do deserto se torna símbolo da realidade da cruz. A serpente é o demônio com seu poder exercido contra os seres humanos. Ela fez com que a árvore do paraíso se tornasse causa de perdição da humanidade.

Olhando agora para a árvore da cruz, a mesma humanidade encontra a salvação. Na árvore da cruz está o corpo crucificado de Jesus Cristo, de quem nos vem a salvação. Na luz da cruz nossas ações se tornam manifestas. Dessa luz se aproximam os que praticam a verdade e não temem que suas obras sejam denunciadas, porque são praticadas em Deus. A imagem, seja da serpente, seja da cruz, fala como falam as letras de um texto escrito. A imagem é outro tipo de Escritura para os olhos da fé.

O que se vê é o Senhor Jesus entregando sua vida para a salvação do mundo. Salvação do quê? Das picadas da serpente, que são reais, tanto a serpente quanto as picadas. Deus, na sua misericórdia, preparou para nós boas obras para serem praticadas. Elas não contêm veneno e são sinal de que nos libertamos do poder da serpente. Isto é dom de Deus e não vem das obras, para que ninguém se glorie. Nossa glória é a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

Cônego Celso Pedro da Silva

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

O Evangelho deste Domingo é muito claro. “Deus é amor”. Este é o único jeito de Deus se relacionar com a humanidade, por meio de seu amor vivo e real em seu Filho Jesus Cristo.
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Oração: Senhor Deus, aumentai nossa fé e o desejo sincero de vos amar em nossos irmãos e irmãs, pela prática do bem, da justiça, do diálogo e do perdão. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Leitura (Verdade)

O Filho do Homem foi levantado para que todo aquele que olhar para Jesus Cristo crucificado, morto e ressuscitado tenha a vida eterna. Olhar no sentido bíblico é crer no poder de Deus. Nos Evangelhos, Jesus direcionava o olhar para o alto, para a realidade (olhem o Pai do céu, olhem a figueira, os pássaros, os lírios, as crianças, os sinais etc.). Com este convite, Jesus conduzia seus interlocutores a perceber Deus na vida e a acolher seus apelos misturados com a realidade. “Se teu olho for simples, teu corpo todo estará iluminado” (Mt 6,22). A luz e as trevas, também, estão em relação a este olhar de fé. Olhar para baixo pode nos levar ao abismo; olhar para o alto nos revela novos horizontes

Meditação (Caminho)

É o amor que define nossa resposta ao amor de Deus. Como me encontro nesta mediação do amor que salva?
Sou colaborativo/a para a construção da fraternidade, da justiça e salvação dos que me cercam?
Como é meu olhar para Deus?

Oração (Vida)

Ofereça a Deus os frutos de sua meditação e oração da Palavra. Apresente o desejo que brotou em seu coração e peça a graça de praticá-lo. Faça sua prece de agradecimento ou suplica.
Se desejar conclua com esta oração: “Jesus Mestre, agradeço as luzes que me destes nesta meditação. Perdoa-me os limites que me impediram de fazê-la melhor. Ofereço o desejo de seguir teus ensinamentos e peço que me fortaleças para ser fiel ao meu propósito.”

Contemplação (Vida e Missão)

Deus revela seu amor por nós. Como posso ser grato/a e retribuir este dom infinito?
Relembro meus propósitos desta Quaresma.

Bênção

Benção especial da Quaresma
– Deus Pai de misericórdia, conceda a todos, como concedeu ao filho pródigo, a alegria do retorno a casa. Amém.
– O Senhor Jesus Cristo, modelo de oração e de vida, nos guie nesta jornada quaresmal a uma verdadeira conversão. Amém.
– O Espírito de sabedoria e fortaleza nos sustente na luta contra o mal, para podermos com Cristo celebrar a vitória da Páscoa. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Homilia Dominical