Meditações
 
Carismas e o sacerdócio
 
Leia os outros artigos
 

"... porque revestidos com os poderes dos carismas nós podemos realizar muito, muito mais..."

A principal razão pela qual eu aceitei o Renovamento, foi a maravilha que aconteceu de imediato na minha vida cristã católica, tanto sacerdotal como pessoal: a minha experiência de Deus, a minha vida de oração, o amor à palavra de Deus e à celebração dos Sacramentos. Tudo o que aconteceu de repente, maravilhosamente, na minha vida, foi o que me despertou. Mas também foi importante a riqueza que o Renovamento me trouxe ao coração, para o meu ministério sacerdotal. A segunda razão pela qual me lancei na espiritualidade do Renovamento Carismático foi porque percebi os grandes instrumentos que o Espírito colocou no meu sacerdócio, para servir os irmãos.

Quantos milhares de pessoas, já de alguma forma foram libertados dos seus ressentimentos, mágoas, traumas, frustrações, impurezas, da sua sensualidade e erotismo, através da oração de libertação! Que força, que tesouro é a oração de libertação, principalmente quando podemos fazê-la pessoalmente, durante uma confissão, através de uma oração de libertação personalizada.

Que riqueza é a cura interior, a cura psicológica e emocional! Podermos orar ao Senhor para que as pessoas sejam curadas dos seus problemas psicológicos e emocionais! Quanta graça nós conseguimos fazer acontecer através desta oração!

Também a oração de cura física e outras formas de oração, por exemplo, a de levar as pessoas a acolher o Espírito, à Efusão do Espírito, a receber os frutos do Espírito e o desenvolvimento dos dons infusos. Enfim, o Renovamento traz uma riqueza imensa, que nos dá os instrumentos maravilhosos para que o nosso sacerdócio tenha um maior poder e uma dimensão de atividade muito mais extensa.

Os carismas são sem dúvida nenhuma uma riqueza extraordinária, instrumentos poderosos para que não trabalhemos apenas na fraqueza humana, mas na força e no poder do Espírito.

Padre Alírio Pedrini
Alocução no Retiro para Sacerdotes, Fátima, Nov. 1997



 
 
xm732