Meditações
 
És precioso aos meus olhos
 
Leia os outros artigos
 

No capítulo 10 de São João, encontramos uma afirmação muito consoladora e, me parece, pouco explorada. “Vim trazer a vida em abundância” (Jo 10, 10). Entretanto, muitos não conseguem descobrir o segredo desta vida grandiosa e bela, que Jesus veio trazer. Daí a razão porque muitos não vivem e sim, vegetam. Arrastam-se pela vida, cheios de ódio, amargura e autopunição.

Transformam o dom precioso da vida num verdadeiro inferno. Porque não crêem no infinito amor de Deus, não se amam, não se perdoam e, portanto, atraem para si todo o tipo de enfermidade. Vivem na maior confusão, desordem. Agridem-se e agridem, sem piedade, quem atravessar no seu caminho. Esquece-se que são obras-primas da mão do Criador.

Encontramos no livro do profeta Isaías muitas afirmações referentes ao amor infinito de Deus para com o homem pecador, dando-lhe tranqüilidade e paz. Vejamos esta: “És precioso aos meus olhos” (Is 43, 4). Se formos preciosos aos olhos de Deus, deveríamos ser preciosos também aos nossos olhos.

E assim como o Senhor nos olha com compaixão, deveríamos ser compassivos para conosco e assim, não perderíamos a paz e iríamos desvendando o segredo da vida em abundância, que Jesus nos veio trazer. O segundo mandamento da lei de Deus manda que amemos o nosso próximo como a nós mesmos, logo há também um mandamento, que manda que nos amemos a nós mesmos. Se nos amássemos a nós mesmos como Deus nos manda, creio que tudo seria melhor para nós e para aqueles que nos cercam.

(...) Quando nos amamos como pessoas, tudo funciona melhor, nossos relacionamentos tornam-se mais harmoniosos, equilibrados e satisfatórios. Descobrimos, portanto, a alegria de viver. Com humildade aprendemos a ver as coisas, nossos semelhantes e a nós mesmos pelo lado melhor.

Descobrimos que os nossos irmãos são seres imperfeitos como nós, mas o lado bom supera de maneira grandiosa as imperfeições e misérias. O milagre começa, então, a acontecer: temos condições da amar o Senhor Deus e ao nosso próximo, porque aprendemos a nos amar como filhos queridos de Deus.

Um dos segredos divinos revelados à humanidade é que realizemos o plano de Deus Pai: Que vivamos felizes, enquanto vivermos e onde vivermos. Que sejamos felizes! Sabemos, entretanto, que a felicidade neste mundo é relativa; só no céu encontramos a felicidade definitiva, onde não haverá dor, nem sofrimento algum e contemplaremos a Deus face a face. Enquanto caminhamos por este vale de lágrimas, precisamos aprender a vida em abundância, que o nosso divino Redentor nos veio trazer. Só desfrutamos plenamente a vida, quando cremos no amor infinito de Deus e vivemos os seus mandamentos.

Só amaremos verdadeiramente a Deus e ao nosso próximo, quando nos amarmos a nós mesmos como Deus nos ama. É preciso, é necessário que nos amemos a nós mesmos. Não tenhamos medo de pedir ao Senhor que realize esse milagre em nossas vidas. Somos feridos, machucados de muitas maneiras e precisamos ser curados. Lembremo-nos que o Senhor no livro de Ezequiel, nos promete um milagre:

“Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo: tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne. Dentro de vós meterei meu espírito, fazendo que obedeçais às minhas leis e sigais e observeis meus preceitos” (Ez 36, 26-27). O Senhor nos faz categoricamente uma promessa, devemos crer e pedir, que venha realizar esse milagre em nós. Devemos repetir com toda a confiança, todos os dias, e até muitas vezes durante o dia, para que este milagre tão necessário aconteça.

Padre Chico
in: Um caminho para Deus, Ed. Pneuma



 
 
xm732