Enriqueça a sua fé
 
A mensagem de Lourdes para a Quaresma
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Nossa Senhora de Lourdes nos transmite uma mensagem significativa, especialmente para Quaresma.

Já no tempo Quaresmal. nas aparições da Virgem Maria, foi que se revelou a Imaculada Conceição a Santa Bernadette Soubirous, suas mensagens têm tudo a ver com a Quaresma. Dentre estas, três pedidos que Nossa Senhora transmitiu a Bernadette fazem parte da essência das aparições e assumem particular importância neste tempo: a conversão, a oração e a penitência pelos pecadores.

Lourdes e o chamado de Nossa Senhora à conversão

Uma das palavras que ecoam das aparições de Nossa Senhora em Lourdes, na França, é a “conversão”. Por isso, celebrar as aparições de Lourdes nesta Quaresma se torna bastante significativo. De fato, a Virgem Maria não somente pediu orações e penitências pela conversão dos pecadores, mas também aconteceram muitas conversões a partir das aparições.

O Padre Peyramale, pároco de Lourdes, preocupava-se muito com os acontecimentos sobrenaturais e o pedido de procissões até o lugar das aparições, mas à cada dia ele se convencia da veracidade das aparições. O Pároco se preguntava que vento era aquele que atingia Lourdes. Era um vento de loucura ou um vento de Pentecostes? Para ele, era difícil discernir o que acontecia nas as almas dos fiéis. No entanto, “a impressão que dia a dia se impunha ao Pároco de Lourdes era que a árvore dava bons frutos: oração, fervor, conversões. Era um fato que estes frutos se confirmavam e multiplicavam”

Em Lourdes, compreendemos que “conversão é o termo que expressa de forma mais específica o significado de peregrinação. Mais que uma terra de milagres, Lourdes é uma terra de conversões”. Se as curas físicas são numerosíssimas em Lourdes, muitos mais numerosas ainda foram, e continuam a ser, as conversões na gruta de Massabielle, a partir das peregrinações. Naquele Santuário, “o amor materno da Virgem Maria desarma toda a forma de orgulho; torna o homem capaz de se olhar como é, e inspira-lhe o desejo de se converter para dar glória a Deus”. Dessa forma, com os corações mais abertos à graça, aconteciam, e acontecem ainda hoje, numerosas conversões de peregrinos em Lourdes.

Lourdes e o apelo da Virgem Maria à oração

As numerosas conversões em Lourdes são frutos principalmente das orações e penitências que Nossa Senhora pediu que se fizesse pelos pecadores. Todos precisamos de oração, pois o pecador mais próximo de nós somos nós mesmos. Se as curas corporais são a exceção, a cura da alma está aberta a todos, a cada um de nós segundo o estágio da vida espiritual, “já que a vida cristã é feita de sucessivas e progressivas conversões, a partir da primeira, que normalmente coincide com o Batismo”.

Santa Bernadette, obediente a Maria Santíssima, se colocava de joelhos publicamente e rezava pelos pecadores. Sua oração tem muito a dizer para nós nesse tempo Quaresmal, pois tinha duas características fundamentais: a humildade e a pobreza. Estas não eram simplesmente virtudes devidas à sua condição economicamente difícil, por vezes reduzida quase à miséria. Mas, dizem respeito de modo particular à humildade e à pobreza de coração, com as quais rezava insistentemente pelos pecadores e, por isso, suas orações eram muito agradáveis a Deus. A pobreza de Bernadette também se fazia presente nas palavras com as quais rezava. A única oração que conhecia e estava familiarizada era o Rosário. Além disso, “nas horas tranquilas e nas horas difíceis, repetia com agrado umas frases em francês cujo sentido se lhe escapava, porém que lhe bastavam para unir-se a uma presença [de Deus] intuída”. Na vida desta Santa, a Palavra do Senhor, segundo a qual “Deus resiste aos soberbos, mas dá sua graça aos humildes”, se cumpre extraordinariamente.

A gruta de Massabielle “tornou-se, assim, a sede de uma admirável escola de oração, onde Maria ensina a todos a contemplar com um fervoroso amor o rosto de Cristo”. Esta escola de oração tem como marcas fundamentais a humildade e a pobreza, que também devem marcar profundamente a nossa oração, especialmente na Quaresma. Dessa forma, aprendemos que o Rosário e algumas palavras simples, humildes, talvez pobres de significado aos ouvidos dos homens, podem ser muito mais eficazes, e agradáveis a Deus, que longas e complicadas orações.

Lourdes e o pedido insistente da Imaculada à penitência

A penitência que foi pedida por Nossa Senhora em Lourdes está intimamente ligada com a oração, pois ambas tinham como intenção a conversão dos pecadores. Em uma de suas aparições, a Virgem Maria pediu a Bernadette que “se ajoelhasse e beijasse o solo como penitência pelos pecadores”. Também como penitência, Nossa Senhora pediu a Santa que comesse ervas do chão, que bebesse e se lavasse na gruta, em sinal de penitência, porém lá não havia água. Depois de relutar um pouco, ela começou a cavar onde a Virgem Santíssima lhe pediu e a água começou a jorrar milagrosamente do solo. Apesar de tantas humilhações, Bernadette não se lamentava, senão por demorar em obedecer.

Ao ser questionada se não se incomodava de que a estavam chamando de louca, Bernadette, impregnada de uma doce tristeza, apenas dizia: “pelos pecadores”. A Santa compreendera, no fundo de seu coração, que “no mundo só havia uma coisa verdadeiramente triste: o pecado”. Por isso passou a fazer as penitências que lhe eram pedidas pela Virgem Santíssima sem inquietação ou hesitação alguma.

Certa vez, quando já estava próxima da Gruta, Bernadette começou a caminhar de joelhos, com agilidade e rapidez espantosas. A Santa caminhava “de joelhos como se o fizesse sobre os pés. De vez em quando beijava o solo”. A isto, uma mulher protestou em alta voz: “quando vai acabar esta comédia?” Sem se importar com essa reação, Bernadette murmurou baixinho, tanto que quase não se podia ouvir, como num eco, três vezes a mesma palavra: “penitência, penitência, penitência”. Esta palavra deve também ecoar em nosso coração, especialmente nesta Quaresma. Dessa forma, a nossa penitência produzirá frutos abundantes de conversão, não somente em nós, mas em muitos outros pecadores, como tem acontecido em Lourdes.

A mensagem de Lourdes: auxílio no caminho de conversão

Nesta Quaresma, a mensagem de Nossa Senhora em Lourdes será para nós um poderoso auxílio em nosso caminho de conversão, de mudança de vida, se a acolhermos no fundo de nosso coração, como fez Bernadette. Que à semelhança dela, sejamos impregnados de uma doce e santa tristeza pela única coisa triste deste mundo: o pecado. Assim, desejemos ardentemente a conversão dos pecadores, dos quais o mais próximo somos nós mesmos.

Com este profundo desejo de conversão, mergulhemos numa vida de oração simples, humilde, pobre, mas, ao mesmo tempo, agradável a Deus. Tomemos o Rosário como nosso companheiro de todos os dias. Ademais, procuremos nos colocar diante de Deus a todo momento, com palavras simples, humildes, que inspiradas por Deus brotarem do fundo do coração. Peçamos insistentemente, em nossas orações, pela conversão dos pecadores, pois esta é a maior obra que Nossa Senhora quis e quer realizar em Lourdes e em todo mundo, mas principalmente em cada um de nós.

Por fim, a penitência está intimamente ligada à oração e ambas tem o mesmo fim: a conversão dos pecadores. Por isso, façamos de nossa penitência quaresmal um exercício docemente triste, por causa do pecado, mas, ao mesmo tempo alegre, por que temos como fim a conversão dos pecadores. Não tenhamos vergonha de fazer penitências, que por vezes podem escandalizar as pessoas, como aconteceu em Lourdes. Pois, como disse Bernadette, a única coisa verdadeiramente triste, e que deve nos envergonhar, é o pecado.

Natalino Ueda, servo de Jesus por Maria.

Oração de São João Paulo II em Lourdes

“Ave Maria, Mulher pobre e humilde, abençoada do Altíssimo!

Virgem da esperança, profecia dos novos tempos, nós nos associamos ao teu hino de louvor para celebrar as misericórdias do Senhor, para anunciar a vinda do Reino e a libertação integral do homem.

Ave Maria, humilde serva do Senhor, gloriosa Mãe de Cristo!

Virgem fiel, santa morada do Verbo, ensina-nos a perseverar na escuta da Palavra, a ser dóceis à voz do Espírito, atentos aos seus apelos na intimidade da nossa consciência e às suas manifestações nos acontecimentos da história.

Ave Maria, Mulher da dor, Mãe dos viventes!

Virgem esposa junto da cruz, nova Eva, sê nossa guia pelos caminhos do mundo, ensina-nos a viver e a propagar o amor de Cristo, ensina-nos a permanecer contigo, junto das numerosas cruzes nas quais teu Filho ainda é crucificado.

Ave Maria, Mulher de fé, primeira entre os discípulos!

Virgem, Mãe da Igreja, ajuda-nos a dizer sempre a razão da esperança que nos anima, tendo confiança na bondade do homem e no amor do Pai. Ensina-nos a construir o mundo a partir do interior: na profundidade do silêncio e da oração, da alegria do amor fraterno, na fecundidade insubstituível da Cruz.

Santa Maria, mãe dos crentes, Nossa Senhora de Lourdes, intercede por nós. Amém.

 
 

xm732