Enriqueça a sua fé
 
É possível perdoar?
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Os frutos são incalculáveis e você será o maior beneficiado

Em um atendimento com meu diretor espiritual, uma das direções que eu deveria seguir era viver a experiência de verificar quem eram as pessoas de quem eu guardava ódio, raiva e ressentimento. A partir desse passo, fizesse uma boa confissão e iniciasse o exercício do perdão.

"Visto que sois eleitos, santificados, amados por Deus, revesti-vos dos sentimentos de compaixão, benevolência, humildade, doçura e paciência. Suportai-vos uns aos outros, e se alguém tiver algum motivo de queixa contra o outro, perdoai-vos mutuamente; assim como o Senhor vos perdoou, fazei o mesmo também vós. E, acima de tudo, revesti-vos do amor: é o vínculo perfeito." (CL 3, 12-14)

A princípio, sinceramente, não tive disposição interior, mas rezando e querendo ser obediente ao direcionamento, comecei a pedir ao Espírito Santo que me lembrasse quem eram essas pessoas, pois só no Espírito podemos encontrar forças para levar adiante a experiência do perdão com paz interior.

"O Espírito que nos dá fortaleza garante, nas dificuldades, a firmeza e a constância na busca do bem" (CIC 1837).

Foi uma experiência sobrenatural. Com muita calma, fui lembrando de pessoas e situações, liberando o perdão de modo muito gratuito. Deparei-me com situações dolorosas e difíceis de aceitar, mas tive a coragem de perdoar gratuitamente; ao mesmo tempo que ia perdoando, sentia fisicamente algo saindo de dentro de mim: era a libertação desses sentimentos que não vem de Deus e tem a força devastadora de acabar com a nossa saúde física, espiritual e mental.

Percebi que, à medida que ia perdoando, também precisava me perdoar pelos muitos erros e reconhecer que algumas pessoas, as quais precisei perdoar, acabei também ferindo de alguma forma. Porém, fiz a opção de experimentar a misericórdia de Deus na minha vida.

O natural era que eu partisse para uma autocondenação e me sentisse a pior das pessoas; porém, percebi que também tenho fragilidades, sou um pecador, mas sei que Deus olhou para mim com amor e não se cansa de estender a mão para que eu possa levantar e seguir em frente, perseguindo uma vida que reflita a proximidade com Ele.

Esse exercício precisarei fazer até o dia de me encontrar com Deus na passagem desta vida para a eterna.

Diante dessa experiência, não poderia deixar de encorajar você a abrir o coração e permitir que Deus restaure seu interior. Os frutos são incalculáveis e você será o maior beneficiado. Permita-me terminar com um ensinamento do fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib: "Quando meu irmão erra, é porque não sabe o que está dizendo".

O verdadeiro perdão leva o outro a sair do cativeiro. O perdão liberta e constrói o outro. O perdão levanta o irmão caído, sara-lhe as feridas e traz paz ao coração. Ao contrário, a falta de perdão nos acorrenta, nos fecha e entristece.

Deus ilumine seus passos! Com a ajuda da Virgem Maria, você seja capaz de fazer a experiência de perdoar.

Fábio Gonçalves Vieira
Missionário da Comunidade Canção Nova

 
 

xm732