Enriqueça a sua fé
 
Sou uma pessoa carente?
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Todos nós precisamos ser amados e consequentemente amar. Buscamos ser acolhidos pelas pessoas, sermos abraçados, beijados, elogiados. E isso faz bem para todos, nos cura e liberta. Mas quando isso não acontece, surge a chamada carência afetiva, que é o vazio de amor que permanece no coração humano, pelo fato de não ter recebido amor, amor suficiente na gestação, na infância ou adolescência.

As carências afetivas manifestam-se através de muitas maneiras no comportamento como: a busca de prazeres sensíveis pessoas, objetos, de estar no centro das atenções, inventar modas, criar situações, revoltar-se, críticas, “grevezinhas” e até na maneira como estar comendo (compensação).

Tudo começa já no seio da família, quando uma pessoa não recebe bastante amor de seus pais e irmãos. Ela torna-se egoísta sob forma de fechamento em si mesma, vive descontente, critica seus pais e briga todo tempo. E entra na fase escolar onde busca mendigar ou comprar o amor de professores e colegas, sempre quer ser o centro das atenções. Tudo isso acaba desembocando no namoro no qual se busca o outro não para amar, mas para ser amado. É no namoro que vai tentar suprir o amor que não recebeu dos pais, transferindo-o para o (a) namorado(a). Assim, nasce os ciúmes, as brigas, as cobranças e lança-se no outro onde se manifestam os abraços, beijos, carícias, contatos físicos e até relação sexual, para tentar suprir a falta de amor.

E isso também acontece com as pessoas que estão à frente de grupos ou comunidades na Igreja; vivem um egoísmo, em rodinhas de amizades pessoais, tornam-se ciumentas e invejosas por causa de seus cargos. Não aceitam serem substituídas por ninguém e criticam os outros o tempo todo. Querem ser os melhores.

Algumas dicas para sermos curados de nossas carências:

1- Reconhecermos que somos carentes e que precisamos de cura;
2- Enfrentarmos essa realidade de frente, nunca fugirmos;
3- O amor puro das pessoas: amigos, pais, namorados(as);
4- Buscarmos a cura interior com pessoas de nossos grupos ou comunidades;
5- Amar a sua história de salvação e rezar pela sua própria cura se possível diante de Jesus Sacramentado;
6- Perdoar as pessoas que te magoaram ou feriram e que não te deram amor;
7- Ter uma vida de oração, adoração e comunhão.

Tudo isso, vai ser concretizado pelo BATISMO NO ESPÍRITO SANTO, onde Deus vai te curar profundamente com seu amor de Pai.

Padre Reinaldo Cazumbá

 
 

xm732