Enriqueça a sua fé
 
Do coração dos pais para o coração dos filhos
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

“Amais-vos uns aos outros como Eu vos amei” (João 15,12). Essa realidade é nova, porque não consiste apenas em amar, mas num amor de mão dupla, que vai e vem. Marido e mulher, amando um aos outros, irmãos, vizinhos e colegas se amando.

Jesus conhecia cada um dos apóstolos, por isso amava cada um de maneira diferente. Temos de amar uma pessoa como ela precisa ser amada. Amar igual é errado, porque cada um é diferente. O Mestre conhecia a diferença deles. Pedro, que era sanguíneo, era diferente de João, de Judas. Cada um era amado de forma diferente; às vezes, com correção, com a presença ou com uma palavra.

Os apóstolos viam como Jesus os amava, com Ele se fazia presente e tinha gestos de carinho. O Senhor tinha todo tempo para eles, dava-lhes toda Sua energia. Deus conhecia cada gênero e temperamento. Ele dava a cada um tratamento diferente. Jesus amava cada um como eles precisavam ser amados, conhecia cada um e tinha tratamentos diferentes para eles: de repreensão, de castigo ou uma palavra dura. Ele dizia: "Assim como Eu vos amei, amai os outros também".

Sei que há muitos pais que dão a vida por seus filhos, que suam a camisa e se gastam por amor a eles. São mães que se gastam, que cuidam dos filhos, que sabem dos gostos deles, têm um compromissos de cada um deles. Isso é amor! Mas coitados dessa mãe e desse pai! Eles fazem de tudo, mas não se fazem ser amados, não se fazem amáveis.

Quando a criança é pequena, a mãe faz todas as "teteias" para agradá-la. No fundo, o que ela faz é provocar o amor da criança. A mãe se faz amável, "puxa" o amor da criança. Olhe agora para suas crianças grandes. Lembre-se que elas precisam ser amadas e você precisa provocar nelas o amor. “Amais-vos uns aos outros”.

Dom Bosco dizia: “Não basta que você ame os jovens, é preciso que eles se sintam amados”. Dom Bosco tinha a arte do "amai-vos uns aos outros". E como os jovens eram apaixonados por ele! Nossa Senhora Auxiliadora, que deu um coração educador ao santo também quer dá-lo aos pais. Não basta que eles sejam amados, é preciso que se sintam assim. Não compre seus filhos com objetos, mas peça a Deus a arte de amá-los e ensiná-los a amar. Todo filho gosta da presença dos pais, gosta de receber um bilhetinho, gosta da comida que eles fazem. Todo filho gosta que lhe passem a mão na cabeça, de serem ouvidos.

Meu pai me comprou pelo amor. Hoje, eu sei amar os jovens da Canção Nova, porque aprendi isso com o meu pai da terra, o Senhor Sérgio, e com o meu pai Dom Bosco. E você pode ver o quanto os meus filhos da comunidade Canção Nova me amam! Você também pode amar dessa forma!


Peça a Deus a graça de amar, peça um coração educador. O Pai do céu, com toda Sua paternidade, vai inspirá-lo a amar concretamente. Ame com gestos e não com objetos.

Seus pais lhe deram a vida. O que você precisa agora é dar a vida eterna para eles. Deus coloca o amor d'Ele em você. Seus pais deram a vida a você e a seus irmãos. Por que você não pode também dar a vida por eles? Comece amando cada um deles!

Pregação 'Coração dos pais para o coração dos filhos', de monsenhor Jonas Abib.

www.cancaonova.com

 
 

xm732