Enriqueça a sua fé
 
Maria, intercessora junto a Cristo
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

A Palavra meditada, hoje, está em São João 2,1-12:


1. No terceiro dia, houve um casamento em Caná da Galiléia, e a mãe de Jesus estava lá.
2. Também Jesus e seus discípulos foram convidados para o casamento.
3. Faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: "Eles não têm vinho!"
4. Jesus lhe respondeu: "Mulher, para que me dizes isso? A minha hora ainda não chegou".
5. Sua mãe disse aos que estavam servindo: "Fazei tudo o que ele vos disser!"
6. Estavam ali seis talhas de pedra, de quase cem litros cada, destinadas às purificações rituais dos judeus.
7. Jesus disse aos que estavam servindo: "Enchei as talhas de água"! E eles as encheram até à borda.
8. Então disse: "Agora, tirai e levai ao encarregado da festa". E eles levaram.
9. O encarregado da festa provou da água mudada em vinho, sem saber de onde viesse, embora os serventes que tiraram a água o soubessem. Então chamou o noivo
10. e disse-lhe: "Todo mundo serve primeiro o vinho bom e, quando os convidados já beberam bastante, serve o menos bom. Tu guardaste o vinho bom até agora".
11. Este início dos sinais, Jesus o realizou em Caná da Galiléia. Manifestou sua glória, e os seus discípulos creram nele.
12. Depois disso, Jesus desceu para Cafarnaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos. Lá, permaneceram apenas alguns dias.


Maria e os discípulos de Jesus foram convidados para o casamento. João narra, em seu Evangelho, apenas duas vezes a presença de Maria: nas bodas de Caná e aos pés da cruz. Nesses dois momentos, Jesus chama Sua mãe de mulher. É profundo o relacionamento de Jesus com Sua Mãe. Quando João narra que Cristo a chama de mulher, Ele se refere é à "nova Mulher". Tudo começa pela Mãe, porque pela intercessão de Maria Jesus realizou o milagre.

Maria é aquela que percebe os detalhes com um toque feminino. Com um olhar de preocupação, ela percebe que o vinho da festa acabou. Então, vai até Jesus, discretamente, com singeleza, e intercede por aquele casal. É a mesma Mãe que age na sua vida, nos seus problemas. Ela pede por você a Jesus.

O Senhor responde que a hora d'Ele ainda não havia chegado – Ele se referia à hora gloriosa. Esse casamento é o Antigo Testamento, o casamento de Yavé e seu povo, que estava corrompido. Jesus é convidado para trazer o vinho novo, ou seja, a nova lei.

Acabar o vinho é perder a alegria, é perder o gosto. Maria escuta Seu Filho e O respeita, mas como uma Mãe que não desiste, pede aos serventes que façam tudo o que Jesus disser. Ela sabia que Seu Filho não deixaria faltar vinho naquele casamento.

Jesus pede aos serventes que encham as talhas de água. A simbologia de faltar água é João narrando que o povo do Antigo Testamento já não estava fazendo o rito de purificação. A aliança com Deus e o povo do Antigo Testamento se transformou num relacionamento "falido".

Encher as talhas até a borda é sinal de que elas estavam quase transbordando. Após o milagre, os serventes levam o vinho até o mestre-sala. No mesmo momento, este reconhece que o melhor vinho foi deixado para o fim da festa. Esse vinho novo é o Novo Testamento.

Jesus está num casamento e Sua Mãe intercede para que aquele matrimônio não comece falido, destruído. Quantos casamentos começam falidos! Falta o vinho novo da alegria, da reconciliação. Muitas pessoas têm brincado com o sacramento do matrimônio.

Alguns casamentos têm começado como água: sem cheiro, cor nem gosto. São relacionamentos com base no prazer, sem diálogo nem amor. Hoje, Maria fala a todos os casais da humanidade: "Eles não têm mais vinho". Pedimos a Deus que caia sobre todas as alianças o vinho novo, que o Sangue de Cristo recaia sobre todos os casamentos.

Pode ser que, em seu coração, passe o pensamento: "Meu casamento era vinho, mas agora se tornou água". Hoje, é o momento de pedir a Deus que tudo o que é água se transforme no vinho novo da alegria, da partilha, da reconciliação, do diálogo e tantos outros. A promessa de viver a fidelidade no casamento foi feita perante Deus e testemunhas. O sacramento do matrimônio é o único que o padre, o diácono e os fiéis só assistem, pois quem, de fato, faz a celebração é o casal.

O lado direito é da razão e o lado esquerdo do coração. Os gregos acreditam que o dedo anelar possui uma veia que se liga direto ao coração. A aliança é um símbolo externo, mas ligada diretamente ao coração. Por que aliança? Porque nela não há começo nem fim; é eterno. A mão direita, o lado da razão, é dada um ao outro na hora do casamento porque é por livre vontade que um aceita o outro.

Pode ser que, com o passar do tempo, a beleza já não seja mais a mesma. Que tipo de compromisso e responsabilidade você está tendo com Deus e com sua família? Peça, hoje, a intercessão de Nossa Senhora por seu casamento. Para acontecer o milagre é necessário que você faça a sua parte. É preciso encher a talha com água. Não desista do compromisso que um dia você fez.

Você, homem e mulher, que não acredita mais no seu casamento, acredite no milagre. Coloque a água na talha. Se preciso for, encha essas talhas com suas lágrimas, e que, hoje, seu coração se abra à mudança. Que, pela intercessão da bem-aventurada Virgem Maria, o milagre aconteça em seu casamento. Faça sua parte e Deus fará o milagre.

Padre Arlon Cristian
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

 
 

xm732