Enriqueça a sua fé
 
Reescreva sua história com Jesus
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

A Palavra meditada, hoje, está em São João 21,1-17:

1. Depois disso, Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim:
2. Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Gêmeo, Natanael, de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos dele.
3. Simão Pedro disse a eles: "Eu vou pescar". Eles disseram: "Nós vamos contigo". Saíram, entraram no barco, mas não pescaram nada naquela noite.
4. Já de manhã, Jesus estava aí na praia, mas os discípulos não sabiam que era Jesus.
5. Ele perguntou: "Filhinhos, tendes alguma coisa para comer?" Responderam: "Não".
6. Ele lhes disse: "Lançai a rede à direita do barco e achareis". Eles lançaram a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes.
7. Então, o discípulo que Jesus mais amava disse a Pedro: "É o Senhor!" Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu e arregaçou a túnica (pois estava nu) e lançou-se ao mar.
8. Os outros discípulos vieram com o barco, arrastando as redes com os peixes. Na realidade, não estavam longe da terra, mas somente uns cem metros.
9. Quando chegaram à terra, viram umas brasas preparadas, com peixe em cima e pão.
10. Jesus disse-lhes: "Trazei alguns dos peixes que apanhastes".
11. Então, Simão Pedro subiu e arrastou a rede para terra. Estava cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e apesar de tantos peixes, a rede não se rasgou.
12. Jesus disse-lhes: "Vinde comer". Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.
13. Jesus aproximou-se, tomou o pão e deu a eles. E fez a mesma coisa com o peixe.
14. Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.
15.Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?" Pedro respondeu: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Cuida dos meus cordeiros".
16. E disse-lhe, pela segunda vez: "Simão, filho de João, tu me amas?". Pedro respondeu: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Apascenta minhas ovelhas".
17. Pela terceira vez, perguntou a Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas?" Pedro ficou triste, porque lhe perguntou pela terceira vez se o amava. E respondeu: "Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo". Jesus disse-lhe: "Cuida das minhas ovelhas.


Durante essa semana, estamos vivendo a preparação para a Festa de Pentecostes. Nesta manhã, na meditação da Palavra de Deus, vemos a história de Pedro, o escolhido de Jesus que tinha, em seu coração, o desejo ardente de dar a sua vida pelo Mestre. Pedro era um homem impulsivo; exemplo disso é o fato de ele ter afirmado que nunca negaria Jesus Cristo, mas o negou três vezes. Quando fez isso, seu coração ficou ferido. Ele experimentou a Ressurreição, mas não a alegria do Ressuscitado. Com o coração ferido, o apóstolo não conseguiria viver Pentecostes. Pedro fala aos discípulos que voltaria a pescar, voltaria à vida antiga.

Com cada um de nós também acontece isso, ou seja, quando desanimamos, quando desistimos de alguma coisa ou de alguém, queremos voltar à nossa antiga vida. Algumas vezes, essa decepção vem por meio de pessoas, mas nossos olhos têm de estar fixos em Cristo, é n'Ele que devemos depositar a nossa confiança.

A Palavra de hoje nos fala que Pedro e os outros discípulos passaram a noite toda pescando, mas não conseguiram nada; ao amanhecer, Jesus apareceu na praia e lhes pediu que jogassem as redes do outro lado. Eles, então, pescaram muitos peixes. Essa noite que eles passaram refere-se às trevas pelas quais nós passamos na vida, e Jesus é a luz que aparece, ao amanhecer, para iluminar e direcionar nossa vida.

Na praia, Jesus havia preparado brasas e havia peixe e pão. Este é o momento que Ele prepara o local para a cura de Pedro. Quando este declara que daria sua vida por Jesus Cristo, mas acabou negando-O, podemos imaginar como estava o coração dele ao reconhecer que aquele homem, na praia, era seu Mestre. Pedro tinha, naquele momento, um coração machucado, receoso e doloroso por ter negado o Senhor. Jesus foi ao encontro do discípulo para curá-lo, pois acreditou nele, assim como acredita em nós, mesmo em meio às nossas infidelidades.

Jesus foi ao encontro de Pedro para curá-lo, porque a experiência transformadora de Pentecostes não seria a mesma se ele estivesse com seu coração ferido e machucado. O Senhor acredita em nós assim como acreditou em Pedro.

Quando o discípulo desistiu, o que será que as pessoas falaram dele? Nós, em nossa caminhada, quantas críticas recebemos das pessoas quando pensamos em desistir ou quando nosso coração ferido, traído e magoado quer largar tudo e voltar à vida velha?

Jesus perguntou a Pedro: "Tu me amas mais do que esses?". Ele é sincero e diz que O ama com amor de amizade, mas não estava ainda pronto a dar sua vida por Jesus. Diante das tribulações, das doenças e dos problemas financeiros que vivemos, Jesus fala para nós: "Tu me amas?". Ele perguntava a Pedro sobre um amor de entrega, sem reservas, aquele que é capaz de dar a vida pelo outro, mas Pedro, naquele momento, em seu ato de amor, disse ao Senhor que O amava com amor fraterno, amigo; no entanto, o discípulo foi capaz, no fim de sua vida, de morrer por Jesus e viver seu amor doação.

Todo o processo de cura na vida de Pedro acontece, hoje, conosco. O Senhor insiste em nos curar. Temos a marca de Deus, e essa nunca sairá de nós. Por acreditar em nós, Ele insiste, todos os dias, e nos pergunta: "Ama-me mais do que estes?".

Ao perguntar pela terceira vez a Pedro se ele O amava, segundo alguns teólogos, Jesus se iguala ao nível do discípulo ao lhe perguntar sobre o amor Ágape, que é o amor doação, mas Pedro Lhe respondia em amor Philia, que é o amor de amizade, de admiração. Pedro respondeu Philia, mas viveu Ágape. Se não abrirmos nosso coração à cura interior, de nada adiantará recebermos o Espírito Santo, pois não causará efeito nenhum em nós.

É a força do Ressuscitado que nos eleva. Pedro foi sincero com Jesus. Este perguntava se Pedro O amava, e o pescador dizia que O admirava. Três vezes Jesus pergunta se Pedro o amava, porque este O havia negado três vezes, e a cura aconteceu.

Jesus quer ir à raiz dos nossos problemas. O que hoje em sua história o leva a não conseguir caminhar? Não se perdoar é um sinal de orgulho. Prender-se ao seu passado é não crescer e ficar estacionado no caminho.

Precisamos reescrever a nossa história com Jesus. Todos os dias, temos a oportunidade de reescrever a nossa história no Senhor. Se Jesus não tivesse aparecido, Pedro teria voltado à sua vida de pescador. O convite para nós, nessa manhã, é vivermos como pessoas novas, ressuscitadas; não devemos parar em nossos erros, mas deixar que o Senhor nos cure. Temos de retomar a vida para a qual Ele nos chama.

Deixe de lado seu pessimismo, suas queixas e lamúrias. Viva a restauração que, hoje, Cristo quer nos dar. Pentecostes acontecerá em nossa vida mediante a abertura que dermos ao Senhor para que Ele cure o nosso coração.

Apresente a Deus suas dores, reze com sua vida. Que o Espírito Santo nos ajude a acreditar neste Deus que acredita em nós.

Padre João Marcos
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

 
 

xm732