Enriqueça a sua fé
 
Queremos seguir Jesus
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

A Palavra meditada, hoje, está em São Marcos 8,34-38:

34. Chamou, então, a multidão, juntamente com os discípulos, e disse-lhes: "Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me!
35. Pois quem quiser salvar sua vida a perderá; mas quem perder sua vida por causa de mim e do Evangelho, a salvará.
36. De fato, que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, se perde a própria vida?
37. E que poderia alguém dar em troca da própria vida?
38. Se alguém se envergonhar de mim e de minhas palavras diante desta geração adúltera e pecadora, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória do seu Pai, com seus santos anjos".


Jesus sempre teve um jeito próprio de falar com o povo. Quando chamava os discípulos para ouvir Seus ensinamentos, Ele era mais duro, mas, no Evangelho meditado hoje, o Senhor chama todo o povo, pois o que Ele iria falar era bom para todos que O ouviriam. Quando chamamos alguém, é porque queremos que essa pessoa esteja conosco. Hoje, Jesus nos chama para ouvi-Lo.

"Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me!". Esse "se" faz toda a diferença, pois se torna uma condição, porque escolhemos se queremos ou não seguir o Senhor. O "querer" é uma ação, e para ela acontecer precisa de uma vontade, assim como amar, perdoar, seguir e reconciliar-se, pois sem a vontade esses verbos ficam sem funcionalidade. É nossa vontade que vira ação, é ela que faz o acontecer em nós. Até para exercitar a nossa fé é necessário ter a vontade.

O querer é muito importante, pois Jesus respeita nossa liberdade. Ela não é um adereço, pois Deus nos fez livres. Nós não nos tornamos livres, nós nascemos livres. Essa liberdade que Deus respeita precisa partir de nós: "eu quero". Diga, hoje, ao Senhor: "Eu quero".

Jesus passava em meio a uma multidão, em meio a várias pessoas, mas por que apenas um cego, um paralítico foram curados? Porque, muitas vezes, a exemplo daquela multidão, nós estamos presentes, mas não de coração. Quantas vezes pedimos a Deus para agir em nós, mas, quando Ele começa a agir, relutamos contra a vontade d'Ele?

Jesus nos pede que renunciemos a nós mesmos e tomemos a nossa cruz. Seguir alguém é andar atrás de alguma coisa ou de alguém; da mesma maneira, seguir Cristo é andar atrás d'Ele, de Seus ensinamentos, de Sua vontade e observância.

O pecado nos cega e nos impede de enxergar Jesus, por isso, muitas vezes, nós nos perdemos na caminhada. Quando não conseguimos mais ver Deus, devemos parar e pedir ajuda. Na nossa vida espiritual ou humana, precisamos de ajuda. Muitos de nós temos seguido o caminho da ganância, do adultério, das drogas, do orgulho e do rancor. Em que ponto você parou de seguir Jesus e se deixou guiar por seus pecados? Pare, peça ajuda e volte para o Senhor.

Para voltar não é tão simples como pensamos, pois precisamos reconhecer que somos errantes. Nesta manhã, se em seu coração existir o desejo de voltar, fale para Ele: "Senhor, perdi-me, mas quero voltar!". Hoje, é o dia de voltar.

Muitos podem pensar: "Por anos, eu participei de um grupo de oração, mas, agora, já não participo mais". "Antes, eu era fiel, mas agora sou pecador". Deus, hoje, só vê o nosso desejo de querer voltar. Em nosso coração precisa haver a certeza de que o Senhor não nos acusa. A acusação não vem de Deus, por isso nos lancemos no mar da misericórdia do Pai.

Precisamos também entender que seguir Jesus é renunciar vontades. Quantas vezes nosso coração quer estar em algum lugar, mas não podemos, porque temos compromissos na nossa paróquia, no grupo de oração. E você pensa: "sacrifício?" Não! É a alegria da renúncia.

Não devemos pedir a Deus sofrimentos, mas abraçar aquilo que Ele nos der. Jesus foi Aquele que realizou milagres, curas, mas também sofreu e morreu na cruz por nós. Esse ensinamento nos incentiva a aceitar a cruz do nosso cotidiano de vida; afinal, nossa vida é feita de dificuldades, mas o que vai diferenciar é a maneira com que carregamos a nossa cruz.

Hoje, o convite é "querer" voltar para Deus. Que o Espírito Santo nos ajude nos dê a forças para levantarmos e voltarmos aos caminhos de Deus.


Padre Arlon Cristian
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.
www.cancaonova.com

 
 

xm732