Vocação
 
Vocação Humana
 
Leia os outros artigos
 

Quem sou eu? De onde vim? O que busco? Quem é você? Qual é a sua identidade?

- é o que logo você ouve quando vai fazer matrícula na escola, quando viaja, quando abre um crediário, quando vai tirar carteira profissional, e outras coisas mais.

Quem é você? Você tem um nome! - José, Regina, Alberto,... Você tem uma data de nascimento.

Quem sou eu? Não sou uma coisa. Sou alguém capaz de crescer, de pensar, de escolher, de amar e de ser amado. Eu sou uma pessoa. Isto quer dizer muito, quer dizer que sou feito à imagem e semelhança de Deus, que me criou com muito amor! Sou gente. Sou uma pessoa: sou um ser consciente e responsável, um ser aberto à comunicação, à partilha, à comunhão no amor. Sou uma realidade única!

Somos realmente imagem e semelhança de Deus, porém não somos deuses. Não somos o que Ele é.

Deus é inteligência — nós temos inteligência.

Deus é sabedoria — nós temos sabedoria.

Podemos concluir então que Deus está em nós e nós estamos nele. Ele é o criador e nós suas criaturas criadas à sua imagem e semelhança.

"E Deus criou o homem à sua imagem; à imagem de Deus Ele o criou; e os criou homem e mulher". (Gn 1, 7)

Como podemos desenvolver comportamentos que revelem que sou realmente imagem de Deus?

Através do que eu faço, vou sentindo esta imagem de Deus em mim. Está nas minhas mãos tornar isso possível, com o auxílio de Deus e dos irmãos.

A realidade da pessoa consiste em dois elementos fundamentais: a exterioridade e a interioridade.

- Exterioridade: é aquilo que aparece, o que apresentamos, manifestamos.
- Interioridade: é aquilo que é interior, o ser, o que sentimos, pensamos, queremos, amamos, o nosso próprio eu.

A exterioridade acaba. A interioridade permanece. Por isso é preciso enriquecê-la, torná-la bonita.

O crescimento externo nem sempre depende de mim. O interno sim, e não
tem limite.

Como tenho desenvolvido minhas qualidades internas?

- sou um ser que pensa, reflete, conhece a verdade: tenho inteligência;
- sou um ser que escolhe, busca, age: busco a vontade;
- sou um ser que deseja, anseia, almeja, faz opção: tenho liberdade;
- sou um ser que vai ao encontro do outro para fazê-lo feliz e para ser feliz;
- sou capaz de amar e de ser amado;
- sou uma pessoa.

Ser pessoa é ser você mesmo. É tomar decisões próprias e responsáveis, sem se deixar levar pêlos outros. Assim sou livre. Liberdade não é fazer o que se quer, mas o que se deve.

O MUNDO DEPOIS DO MEU NASCIMENTO

O mundo nunca mais foi o mesmo depois do meu nascimento, pois o homem vive em um determinado contexto social com o qual interage de forma dinâmica, pois ao mesmo tempo em que atua na realidade, modificando-a, esta atua sobre ele, influenciando e, até podemos dizer, direcionando suas formas de pensar, sentir e agir. Assim, as concepções que o homem desenvolve a respeito de sua corporalidade e as suas formas de comportar-se corporalmente estão ligadas a condicionamentos sociais e culturais.

A cultura imprime suas marcas no indivíduo, ditando normas e fixando ideias nas dimensões intelectuais, afetiva, moral e física, ideais que indicam à Igreja o que deve ser alcançado no processo de Evangelização.

O comportamento de cada indivíduo de um grupo cultural revela, assim, não somente sua singularidade pessoal, mas também tudo aquilo que caracteriza esse grupo como uma unidade. Cada um expressa a história acumulada de uma sociedade que nele marca seus valores, suas leis, suas crenças e seus sentimentos, que estão na base da vida social.

UM SER PARA O OUTRO. O ENCONTRO NOS CRIA

O ser humano realiza o seu destino na relação. "Ninguém é uma ilha que se baste a si própria — disse John Donne1 — "todo homem é uma parcela de continente, uma parte do todo." Presta contas a um, é responsável por outro; assim, ninguém pode trabalhar pelo seu auto-desenvolvimento sem prestar atenção ao vizinho.

A autonomia implica não o individualismo em que cada um faz as suas escolhas sozinho e por si, mas a capacidade de responder pêlos seus atos, perante si próprio e também perante os outros. A pessoa humana não pode encontrar em si mesma o sentido da vida; tem necessidade de alimentar o seu desejo de viver, de ser reconhecida, acolhida e aceita pêlos outros.

Estamos inseridos num tecido complexo de relações que começa logo no primeiro instante de nossa existência no seio materno. Nunca estamos sós; nem mesmo uma pessoa solitária pode viver sem contato com outrem, quanto mais não seja em sonhos, em recordações, por antecipação... Esse outro, "que vem de alhures", para nós que somos cristãos, é o Absolutamente Outro, o próprio Deus.

CONHEÇA O SEU INQUILINO INTERIOR: A SUA ALMA

Um dia duas células se uniram para formar um ser único no universo: você. Essas células não vieram vazias, mas estavam cheias de informações genéticas. Cada uma delas trazia em si uma história: de um lado, a história de seu pai e, de outro, a história de sua mãe.

No momento em que elas se encontraram, o Criador infundiu-lhes o sopro da vida, e uma explosão de luz aconteceu. Você começou a se desenvolver, e as informações genéticas contidas nas células de seus pais foram fazendo uma combinação mágica e definindo seu corpo - a cor dos olhos, do cabelo e da pele, por exemplo - e sua mente como o temperamento, as capacidades, as habilidades etc. Você ficou assim definido potencialmente em corpo, mente e espírito.

E nove meses depois você nasceu! Nesse momento o ar entrou em seus pulmões, a luz incidiu em seus olhos e, pela primeira vez, você viu o mundo ao seu redor. A partir daí, você passou a perceber, através de seus cinco sentidos, tudo o que estava à sua volta, adquirindo uma maneira própria de sentir a vida. Ë como se tudo o que você percebesse passasse por uma lente, dando-lhe uma visão peculiar das coisas.

Ninguém percebe o mundo igual a você, porque cada um o olha através de sua própria lente interior, e não existe uma lente igual a outra. Por isso é muito importante você conhecer a composição de sua lente, pois assim poderá ter maiores cuidados com ela (se os óculos estão sujos, a visão fica distorcida).

Essa sua lente interior é formada de elementos que você herdou de seus pais e também de elementos que você adquiriu a partir de sua concepção. A parte herdada é constituída da combinação de vários elementos, tais como memória genética, temperamento, capacidades e habilidades. Já a parte adquirida resulta de sua convivência com o meio ambiente desde a época de sua concepção.

Quando começar a observar seu temperamento, você perceberá que ele é um dos elementos mais importantes da sua lente interior, é composto por três forças - emoção, ação e objetividade - que, combinadas, resultam em seu jeito de ser.

Para alcançar o autoconhecimento, é importante que você tome consciência da intensidade com que cada uma dessas forças se encontra dentro de você, porque é a partir da combinação delas que você terá mais dificuldade ou mais facilidade para desenvolver certas características de seu comportamento.

IMPORTANTE VOCÊ QUERER!

Isto é caminhar! Busca de algo mais! Busca de ser mais! A gente é o que busca ser! Ninguém nasce pronto!

" Vós sois o sal da terra. Se o sal perde seu sabor, como tornará a ser sal? Não serve para mais nada; jogam-no fora e é calcado aos pés pêlos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada num monte. Quando se acende uma lâmpada, não é para pô-la debaixo do alqueire, mas sobre a luminária, e ela brilha para todos os que estão na casa. Assim também brilhe a vossa luz aos olhos dos homens, a fim de que. vendo as vossas boas obras, eles glorifiquem o vosso Pai que está nos céus."

Textos para refletir:
Gn 1, 26-27
Is 49, 15-16
Sl 139 (138)
Jo 1, 1-12



 
 
xm732