Namoro
 
Namoro: da paixão ao compromisso
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

O ser humano é, por sua natureza, predisposto a relacionar-se. E dentre as diversas formas de relacionamento, a inclinação a ter alguém para constituir a própria família ganha força em nosso coração. Para isto, antes, é preciso namorar. Ou seja, é preciso conhecer e aprender, cada vez mais, a amar uma pessoa que lhe seja especial. Mas, como chegar a este nível de cumplicidade? Como um namoro pode levar duas pessoas a se comprometerem radicalmente uma pela outra? A paixão entre duas pessoas basta? Quais os maiores desafios?

A grande maioria das pessoas, quando imagina um namoro, considera como essencial para o êxito deste relacionamento o constante sentimento da paixão. Esta emoção acaba sendo valorizada demais e passa a ser a maior referência para que a pessoa oriente as futuras decisões, em comprometer-se "para sempre" com o outro ou de desligar-se.

É certo que não existe uma fórmula do amor ou uma cartilha de como proceder. Talvez por isso fiquemos tão voltados aos sentimentos. Contudo, é possível identificar cinco fases, etapas, pelas quais todo casal passará.

A primeira é a do "Sentimento" – ambos estarão inebriados pelos hormônios da paixão. Isto equivale a dizer que a realidade a respeito dele (a) estará ofuscada pelo seu desejo. É certo que viveremos a fase da paixão, mas é necessário inserir outras virtudes como o profundo conhecimento um do outro e a firme opção pelo (a) amado (a). Ainda, será necessário unir os corações em identidade e atitudes.

A segunda fase será a do "Conhecer" – passado um pouco o efeito atordoante da paixão, conseguiremos ver a outra pessoa um pouco melhor, e sob a ótica da razão. A verdade da pessoa amada - defeitos e qualidades ficam bem perceptíveis.

A terceira fase chamo de "Decisão". Depois de um tempo suficiente para conhecer em profundidade a outra pessoa, seu coração questionará se esse relacionamento está compensando. E então, você deverá fazer as contas e equalizar as diferenças entre vocês e a bela e feliz experiência de um amor que é capaz de sair de si.

A quarta fase será a de "Formar Identidade" – vencidas e aceitas as barreiras da humanidade em ambos, haverá como que uma "fusão de pessoas". Um entra no coração do outro, formando a identidade do casal. O 'eu' mantém-se, mas os obstáculos são vencidos de forma tão magnânima que acabam por gerar maiores afinidades e cumplicidades. É um amor entranhado, muito além da paixão.

E a quinta e última fase será o "Noivado" - é a concretização dos preparos para o casamento, no aspecto material – casa, móveis, finanças, cerimônia, enxoval – e no aspecto instrutivo – sabermos o que envolve um ambiente familiar, qual o papel de cada um, as funções paternas e maternas etc.

Conhecer essas fases não será garantia de que seu namoro ou seu próximo relacionamento dê certo. Mas, com certeza, será um roteiro para você se preparar melhor, e principalmente, se perceber capaz de ultrapassar dificuldades. Pelo amor é possível superar os desafios do casal e transformá-los em decisão, felicidade e verdadeiro amor.

Sandro Aparecido Arquejada
Missionário da Comunidade Canção Nova
www.cancaonova.com

 
xm732