Namoro
 
Quem ama cuida.
 
Leia os outros artigos
 

Em nossa linguagem, há palavras portadoras de grandes riquezas, mas que sofrem desgaste por serem usadas de maneira reducionista ou mesmo torpe. Amor, é uma dessas palavras. Mas o coração humano clama pelo seu verdadeiro sentido, busca a sua densidade e tenta resgatar a sua capacidade de encantar e dar sentido à vida. Todo ser humano busca o amor. Mesmo que envide suas forças em busca de riqueza, poder, fama, é o amor que o ser humano busca.

Quando o amor humano é contemplado em sua profundidade, ele ganha dimensões divinas. Afinal, é para elevar-nos ao grau da divindade que Deus semeou no coração da humanidade a capacidade de amar.

"O homem não pode viver sem amor. Ele permanece para si próprio um ser incompreensível e a sua vida ,é destituída de sentido, se não lhe for revelado o amor, se ele não se encontra com o amor, se não o experimenta, se não o torna algo seu próprio, se nele não participa vivamente" (Papa João Paulo II, Encíclica Re-demptor Hominis).

E uma das formas de viver com densidade o amor é a vida matrimonial. Mesmo que os jovens encontrem milhares de argumentos para fugirem da responsabilidade de constituírem uma família, mais cedo ou mais tarde, o amor clamará pela estabilidade de um relacionamento afetivo, pela busca de urna aliança duradoura. Esse desejo de encontrar o complemento afetivo, "a outra metade", move o coração humano, com um poder que encontra suas origens na criação da humanidade.

O livro do Gênesis descreve de maneira tão bonita a criação do homem e da mulher. A descrição do gesto de Deus, ao retirar uma costela de Adão para formar a mulher, foi uma linguagem bíblica para dizer que ela foi tirada do lado do coração, para ser sua companheira. Se fosse tirada da cabeça, estaria dizendo que ela iria dominar o homem. Se fosse tirada do pé, estaria dizendo que ela seria eternamente submissa. Não! Ela foi tirada do lado do coração. Companheira em igualdade de condições, complemento afetivo, solidária na vida e co-herdeira do espírito divino.

Que os namorados, encontrem no exemplo de Maria, mãe do puro amor, uma inspiração para o cuidado com a pessoa amada. Com este título, Nossa Senhora é saudada nas litanias marianas, exaltando em sua grandeza, a pureza do seu amor, a profundidade de sua comunhão com Deus e a sua fidelidade ao esposo São José, com quem partilhou a vida na santidade e no compromisso com Jesus.

PE. VICENTE ANDRÉ, C.SS.R.
REVISTA DE APARECIDA



 
xm732