Ser missionário
 
A palavra de Deus cria a Igreja
 
Leia os outros artigos
 

"Sabemos, irmãos amados de Deus, que sois do número dos eleitos - porque o nosso evangelho vos foi pregado não somente com palavras, mas com grande eficácia no Espírito Santo e com toda convicção. Assim, sabeis como temos andado no meio de vós para o vosso bem. Vós vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, acolhendo a Palavra com a alegria do Espírito Santo, apesar das numerosas tribulações; de sorte que vos tornastes modelo para todos os fiéis da Macedônia e da Acaia"( 1Ts 1,4-7).

Se os cristãos de Tessalônica podem ter uma existência cristã qualificada e significativa, é porque foram "eleitos" e chamados por Deus (1,4); e se eles receberam a vocação cristã, é porque são "amados" por Ele.

Esta nova realidade torna-se compreensível a partir do anúncio da Palavra por Paulo e seus companheiros. De fato, para mostrar que a vocação cristã só pode ser conhecida pelos sinais que produz, Paulo indica dois fatos fundamentais: a atitude dos missionários no anúncio da Palavra (1,5) e a atitude dos tessalonicenses que acolhem o evangelho (1,6). O evangelho acontece e faz nascer uma comunidade cristã mediante dois protagonistas: quem proclama a mensagem e quem a escuta. Em Rm 10,16-17, Paulo evidencia a mesma realidade, formulando uma espécie de slogan teológico : "a fé vem da escuta" (fides ex auditu).

É importantíssimo notar a atitude de Paulo ao afirmar com extrema clareza que é exatamente mediante a proclamação humana ("nosso evangelho") que Deus atinge o coração do ouvinte para suscitar a fé. Isso quer dizer que todo anúncio do evangelho é um acontecimento de graça (1,5) e que a Palavra proclamada não é só humana, mas recebida justamente como Palavra de Deus (cfr.2,13).

A Palavra do evangelho é um acontecimento que se realiza não só porque os missionários a anunciam, mas sobretudo devido à "grande eficácia no Espírito Santo". Em outros termos, o próprio Deus age, através da mensagem dos apóstolos.

Também é fundamental a atitude dos tessalonicenses, pois sua resposta de fé é dada diretamente a Deus. "Acolher a Palavra" significa assumi-la totalmente, mediante "uma profunda adesão pessoal", lembrando porém que nenhuma força humana pode produzir a fé: ela é obra exclusiva de Deus e de sua Palavra. Além do mais, é preciso não esquecer que as dificuldades aparecem: acolher a Palavra de Deus, quase sempre, traz "muitas tribulações".

No entanto, para além de toda tribulação, existe uma realidade mais importante e mais significativa: é a "alegria do Espírito Santo" que faz a comunidade viver mais intensamente. Como uma criança, logo ao nascer, eleva seu hino à vida, chorando, assim as tribulações que a comunidade cristã deve enfrentar são contexto e ocasião para expressar a intensa alegria de uma vida conduzida e orientada pela força do Espírito.

Dessa forma, a comunidade de Tessalônica torna-se uma manifestação clara da realização da proclamação do Evangelho. "Imitando" Paulo e, acima dele, o Senhor, os novos cristãos tornam-se "modelo" para outras Igrejas. Todos eles estão perfeitamente inseridos na lógica do evangelho: quem ouviu a Palavra proclamada, por sua vez, torna-se mensageiro para fazê-la ressoar entre outras comunidades!

Isso não é determinado por uma decisão pessoal, pois ninguém decide, por si mesmo, ser vítima de perseguição ou de sofrimento, bem como ninguém pode tornar-se modelo porque assim o quis! Tudo isso acontece pela eficácia da Palavra que chama e envia seus mensageiros como instrumentos qualificados para gerar outras comunidades.

Autor: Sergio Bradanini
www.pime.org.br



 
 
xm732