Com a palavra...
 
Somos chamados para a missão
Por: Dom Fernando Mason
Bispo Diocesano de Piracicaba
 
Leia os outros artigos
 

No mês de outubro, tradicionalmente dedicado às missões, a Igreja convida todos a refletirem sobre a responsabilidade evangelizadora pois, pelo Batismo, todos são missionários, chamados a anunciar, por palavras e atitudes, o Evangelho de Jesus Cristo, semeando no mundo os valores do Reino de Deus.

A missão ocupa um lugar central na razão de ser da Igreja. É interessante observar que as palavras "apóstolo" (do grego "apostéllein") e "missionário" (do latim "mittere") significam a mesma coisa: enviar. Por isso a Igreja define a si mesma como "apostólica".

Os apóstolos foram enviados por Jesus Cristo aos quatro cantos do mundo para levar o Evangelho "a todas as nações" (Mt 28, 19), "até os confins da terra" (At 1, 8). Eles deram conta do recado, tanto que o testemunho "apostólico", acolhido e transmitido, chegou até nós.

Caracteriza o missionário o fato de ser um "enviado", isto é, ser alguém que atua em nome de uma incumbência recebida. A incumbência da missão evangélica vem de Jesus Cristo que se torna presente na palavra e na atuação de seus "missionários" (Lc 10,6).

Missionário é aquele que dá sua vida para servir o Evangelho. Jesus Cristo hoje envia por meio da Igreja "que é seu corpo" (Cl l, 24). A Igreja, ao longo de seus 2.000 anos, viveu diversas epopéias missionárias, uma delas no século 15, que evangelizou nosso continente. Ao longo da história, milhares de sacerdotes, religiosos e leigos, enviados pela Igreja, deixaram tudo — pátria, parentes e bens — para serem apóstolos e missionários de Jesus Cristo em terras distantes.

O Mês Missionário quer nos lembrar que todos são chamados a ser missionários, também no dia-a-dia, na nossa realidade. Faz parte de nossa alma de Igreja apostólica e de cristãos nos engajarmos na missão.

Ai de nós se não evangelizarmos! E hoje, conforme pedia o Papa João Paulo 2", somos chamados a uma nova evangelização, a tornar novo para nós próprios o Evangelho em que cremos, a testemunhá-lo com novo ânimo e oferecê-lo com novo ardor aos que não o conhecem ou dele se esqueceram.

Somos portadores de um bem precioso e de uma proposta de vida que abre para a esperança: o Evangelho. Se por nós, indivíduos ou comunidade, alguém abrir seu coração a Jesus Cristo teremos conquistado uma vida para o bem (o que não é pouco!), teremos manifestado nossa fidelidade àquele que é Nosso Senhor (o que é tudo!) e teremos dado conta da incumbência de sermos testemunhas do amor, o que é grande e nobre!

O Senhor esteja sempre conosco! E o nosso testemunho a favor dele também!



 
 
xm732