Com a palavra...
 
Confiando na Providência Divina
 
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

No dia 25 de julho comemoramos o Dia do Colono e o Dia do Motorista. Já no dia 26, sábado, comemoramos o Dia dos Avós, numa homenagem a São Joaquim e Santa Ana.

As comemorações relativas ao Dia do Colono e do Motorista costumam reunir multidões de pessoas em vários municípios da Diocese de Santa Cruz do Sul. Em alguns, o destaque são os agricultores. Em outros a ênfase recai nos motoristas.

As comemorações relativas ao Dia do Colono fazem memória da imigração européia, principalmente da imigração de alemães e italianos. Vale lembrar que o vinte e cinco de julho marca a chegada dos primeiros imigrantes alemães ao Rio Grande do Sul em 1824, ou seja, há 190 anos. Nas comemorações, as comunidades fazem memória das peripécias vividas por estes imigrantes, onde se destaca a esperança de uma vida melhor para si e suas famílias. Cientes de que sem a proteção divina não conseguiriam prosperar, as comunidades originárias da imigração alemã, italiana e polonesa, tiveram a preocupação de edificar espaços próprios para o cultivo da fé. Algumas vezes eram escolas/capela, outras vezes capitéis ou mesmo uma simples cruz plantada na beira da estrada. Cada comunidade era confiada à proteção de um santo, que em muitos lugares, passou a dar nome e identidade à localidade. Nos anos subseqüentes, edificaram bonitas igrejas que orgulham as comunidades até os dias atuais.

Além dos lugares para os encontros da comunidade, os imigrantes também vieram marcados por uma profunda tradição religiosa na família, sendo comuns os relatos de pessoas onde a oração do terço fazia parte da rotina diária. Em praticamente todas as famílias, a oração na hora das refeições nunca era omitida.

O caráter religioso e comunitário continua a marcar a vida das comunidades na região. Por isso, no Dia do Colono, organizam-se grandes e bonitas celebrações para reafirmar a consciência de que "sem Deus o trabalho humano não prospera".

As comemorações do Dia do Motorista são mais recentes e tem como marca a bênção dos carros em grandes desfiles organizados nas cidades. Várias empresas participam destas procissões e não deixam de pedir a benção aos padres ou ministros. São comuns os motoristas que nunca colocam o carro na estrada sem levarem consigo a imagem de São Cristóvão e sem pedirem a proteção ao anjo da guarda. Tudo isto comprova a presença da fé na vida dos motoristas, apesar de a vida comunitária nem sempre merecer a mesma atenção.

Aproveitando a oportunidade de tantas comemorações, saúdo, com gratidão, os colonos que dedicam sua vida ao cultivo da terra. Com a mesma gratidão, saúdo os milhares de motoristas que transportam pessoas, alimentos e bens de consumo. Junto com eles, saúdo também, com carinho, as vovós e os vovôs que comemoram o seu dia no sábado, 26 de julho. Que o Deus providente a todos acompanhe e proteja.

Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

 
 
xm732