Com a palavra...
 
O Domingo da opção por Cristo
 
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

O Domingo de Ramos, intitulado também da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo,é o portal da Semana Santa. Celebramos com uma procissão festiva a adesão a Cristo, a das crianças e jovens hebreus, que reconheceram a chegada do Salvador nas suas vidas, por isso hoje,se realiza a jornada mundial de oração pela juventude com temática da pobreza espiritual. Mas também muitos naquele dia aclamaram a Jesus com ramos e tapetes, externamente, pois na sexta-feira estariam pedindo a liberação de Barrabás e a morte de Jesus.

É a contradição e a inconsistência com que inúmeras pessoas vivem sua fé, mais como uma crendice que não aguenta nem sustenta o conflito cotidiano da fidelidade do discípulo e verdadeiro seguidor de Cristo. Uma religiosidade com camadas tradicionais que não inspiram a vida nem as principais opções do projeto da existência, compatibilizando comportamentos antiéticos e corruptos com a definição afoita de cristão.

Por isso somos convidados neste dia a confrontar nossa caminhada de fé com a liturgia da Palavra que com o modelo profético do servo sofredor nos apresenta o que significa ser discípulo de Jesus e na narrativa da paixão encontrar qual é nossa posição e compromisso com o Crucificado e com as vitimas que hoje atualizam a paixão.

O mistério da entrega de Jesus e da sua morte não podem passar indiferentes, porque selam nosso destino e dizem respeito a nosso acesso a eternidade, a salvação e a comunhão plena com Deus. O Domingo de Ramos exige nossa definição, queremos ser cristãos do Ibope, viver a fé numa mesmice e tibieza que não leva a nada ou pelo contrário optamos por seguir a Jesus custe o que custar pois, Ele é o nosso Salvador e Libertador. Senão nos decidirmos esta semana será a semana do turismo, do passeio e do lazer mas também a do desencontro com Jesus. Aproveitemos a hora da graça e transformemos esta semana numa verdadeira experiência de conversão a Jesus e comprometimento com o seu Reino e a sua Missão. Deus seja louvado!

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo de Campos

 
 
xm732