Especial - A Bíblia para crianças
 
O martírio de Estevão
Fonte: Revista Família Cristã
 
Leia os outros artigos
 

Mas nem tudo era festa na vida dos primeiros cristãos. Eles eram também muito perseguidos, principalmente pelas pessoas que não acreditavam que Jesus era Filho de Deus. Outro motivo forte da perseguição aos cristãos era a pregação que eles faziam. Ela transformava as pessoas. Todos compreendiam que, para seguir Jesus, era preciso mudar de vida e denunciavam as injustiças que as pessoas praticavam.

Nem por isso os cristãos se amedrontavam. Para eles, o importante era seguir os ensinamentos de Jesus, quer isso incomodasse ou não.

Apesar das perseguições, aumentava o número de cristãos. Por isso, os apóstolos precisaram de mais pessoas para ajudá-los. Além da pregação, havia muitos necessitados na comunidade. Para atendê-los foram escolhidos sete homens. Estêvão era um deles. E fez um grande bem ao povo, e também pregava. Por isso, os perseguidores mandaram prendê-lo, temendo que ele conquistasse novos cristãos. Na prisão, Estêvão foi interrogado sobre a pregação que fazia. Ele respondeu com um longo discurso que resume toda a história dos profetas.

"Também eles foram perseguidos e mortos porque anunciavam a vinda de Jesus e convidavam o povo a mudar de vida para seguir o caminho de Deus" (confira At 7).

Ao ouvir essas palavras, os perseguidores se enfureceram e mandaram apedrejar Estêvão. Antes de morrer, ele rezou e pediu o perdão de Deus àqueles que lhe pagaram com o mal o bem que ele havia feito.

Depois desse fato, a perseguição dos cristãos tornou-se ainda mais forte. Porém, os apóstolos continuaram firmes, pregando e testemunhando o nome de Jesus a todos e em todas as cidades. E não só em Jerusalém. Por isso, muitos pagãos também acreditaram em Jesus e receberam o batismo. Veja, em At 8, 5 - 25, a missão de Filipe na Samaria.

Os apóstolos estavam animados e nada os fazia calar, nem mesmo as ameaças de novas prisões e de morte. Desse modo, muitos enfrentaram o martírio, isto é, a morte, derramando o próprio sangue para provar a firmeza de sua fé em Jesus. E não foram poucos os mártires da Igreja. Eles são considerados santos, porque seguiram Jesus até o fim.



 
 
xm732