Maria
 
Maria: Mãe compassiva da humanidade
 
Leia mais artigos sobre Maria
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
 

Ontem meditávamos em nossa Novena como Maria é modelo de fidelidade a Deus e ao Evangelho. Como prêmio por essa fidelidade recebeu do seu Filho no Testamento no Gólgota o seu maior dom: cada um de nós. Nossa Senhora assumiu essa grande missão de ser nossa Mãe. Ela é a Mãe compassiva que não quer nenhum dos seus filhos desamparados.

Socorrei, sim, socorrei o vosso povo que cai!

Ao terminar a Liturgia das Horas cotidiana, entre outras, eleva-se esta invocação da Igreja a Maria:

"Ó Santa Mãe do Redentor, porta do Céu sempre aberta, estrela do mar, socorrei o vosso povo, que cai e anela por erguer-se. Vós que gerastes, com grande admiração de todas as criaturas, o vosso santo Genitor"!

Estas palavras referem-se a cada um dos homens, a todas as comunidades humanas, às nações e aos povos, às gerações e às épocas da história humana: Socorrei, sim, socorrei o vosso povo que cai!

Muitas vezes caímos, somos humilhados, passamos por momentos de tribulação, sejam causas externas ou internas. Algumas vezes pelo peso do nosso fardo desanimamos e pensamos em desistir. Aí é que nos deparamos com um olhar materno, doce, que nos diz: meu filho, coragem! Eu te amo e não desistirei de você! Caminhemos juntos!

Maria sofreu dores de parto, ao ver o seu Filho sendo crucificado, experimentando a dor imposta pelo peso dos nossos pecados. Podemos inclusive imaginar: como Maria permaneceu de pé diante da Cruz, sofrendo junto com o seu Filho? Porque Ela compadeceu-se com o seu Filho, associando-se à sua Paixão. Essa mesma atitude Ela tem com a gente.

Como à Igreja nada do humano é alheio a Maria. Em todas as nossas lutas, desejos, sonhos, Ela está nos cuidando. Ela se preocupa especialmente com aqueles filhos mais desesperados, indefesos, fragilizados pelo egoísmo de outros. Com certeza Ela escuta o nosso clamor.

A compaixão não consiste em conformar-se com uma situação que está mal. Ela nos leva à ação. Senão não passa de um mero sentimentalismo. Por isso na oração que vimos acima fala também de uma humanidade que cai, mas que anseia erguer-se. É isso que Maria quer fazer com cada um de nós: ajudar-nos a que nos levantemos de nossas quedas, para que sejamos cada dia mais semelhantes ao seu Filho. Maria não descansará enquanto não formar Cristo em cada um de nós.

Gostaria de terminar pedindo o auxílio da Mãe Aparecida com uma das orações marianas mais antigas, o Sub tuum praesidium (Sob a vossa proteção). Que Ela tenha compaixão de toda a humanidade:

“À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades; mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.”

Ir. Gilberto Cunha.

 
 
xm732