Colunas
 
Ótima ocasião
Por: DOM ALOÍSIO ROQUE OPPERMANN
SCJ ARCEBISPO DE UBERABA, MG
 
Leia os outros artigos
 

Por mais difícil que pareça, nós vamos tentar.  O Concílio exortou a Igreja, a buscar um diálogo com o  mundo moderno. Esse diálogo civilizado pretende derrubar a muralha de aço que põe a Igreja e a modernidade em campos separados ou até antagônicos. A conversa não está fácil.

Nós, da Igreja, adotamos valores do mundo moderno que, no fundo reconhecemos como tendo vindo da filosofia cristã:  os direitos humanos;  as causas históricas da modificação social; a democracia como melhor regime de governo...

Do lado da modernidade pouco interesse houve em aparar as arestas no que diz respeito à constituição da família;  à proteção da vida do nascituro; à ética nos experimentos; ao reconhecimento de um Ser Superior que, em grandes linhas, rege a história...

É bem verdade, houve uma simpatia pela doutrina social da Igreja, uma curiosidade pelas respostas da fé aos enigmas do mundo. Mas, no grande conjunto das idéias que regem  a vida moderna, estamos em curto circuito.

Neste ano de 2008 se apresenta uma oportunidade ímpar para o diálogo respeitoso. No Brasil, a Campanha da quaresma versará sobre “Fraternidade e Defesa da Vida”. Seu texto-base é cuidadosamente elaborado por uma equipe, que conta entre seus membros,  com um médico e uma médica. Tive o prazer de ler os seus raciocínios, enquadrados dentro de um método de trabalho, conhecido com “Ver, Julgar e Agir”. Sua argumentação é rigorosa, científica e serena. 

A oportunidade de dialogar com os médicos, os enfermeiros, os biólogos, os bioquímicos, os laboratoristas, e outros profissionais, é muito grande. Nunca tivemos uma ocasião tão propícia para apresentar nossos argumentos a favor da vida, contra a interrupção da gravidez, o reto uso de células-tronco,  contra a eutanásia, a favor da verdadeira eugenia, e de dezenas de outros assuntos. Sempre tem acontecido que os argumentos, contrários à nossa posição, tiveram grande volume de informações e de espaço.

E as nossas razões ficaram na fraqueza da penumbra, e nas notícias de rodapé. Não temos multinacionais a nosso favor. Mas agora vamos doar aos profissionais da vida, e também aos juristas, um exemplar da CF 2008. Isso vai melhorar a conversa.

 
 
xm732