Colunas
 
Por que o ânimo é grande?
Por: DOM ALOÍSIO ROQUE OPPERMANN
SCJ ARCEBISPO DE UBERABA, MG
 
Leia os outros artigos
 

Nas grandes catástrofes da natureza,  a televisão tem capacidade de provocar fortes emoções. Ela consegue transmitir as lágrimas de dor das vítimas, o estado  lastimável em que ficam as famílias que perderam tudo numa enchente devastadora,  ou na destruição das casas, retorcidas por um vendaval onipotente.

Prestamos atenção no lamento infinitamente acabrunhador de um chefe de família, que com sua esposa trabalhou anos a fio, e agora, num fiozinho de tempo perdeu tudo. Ou quase tudo. Só não perdeu a esperança. Isso no fundo, ao pronunciá-la, a vítima expressa uma profissão de fé num Deus,  que é capaz de conceder tempos melhores, a partir de um sinistro aniquilador. “O Senhor tem pensamentos de paz e não de aflição”  (Jer 29, 11). Os acontecimentos, portadores do mal, forçam a um recomeço que, ao final, leva a uma fase nova, muito melhor. O povo, com  sabedoria fala: “Há males que vem para o bem”.

Os casos de imoralidades, acontecidos  dentro dos quadros da Igreja, são profundamente lamentáveis. Não deveria ter acontecido nenhum. Assim, a lama chapiscou em todos os clérigos, levando a uma desconfiança na prestação de serviços aos fiéis. Mas tenhamos a certeza: o quadro da pedofilia extrapola de longe os minúsculos quadros do clero. Representa menos de 1% da grande podridão moral na qual está afundada a sociedade.

Mas a graça de Deus, após a purificação, nos concederá melhores vocações. Os jovens com brilho nos olhos, com desejo de seguir Jesus numa total castidade, e com imensa vontade de servir ao povo, vão tornar a surgir desse caos sexual do mundo de hoje. O Senhor vai derramar na Igreja o espírito de piedade e fortaleza, que suscite sacerdotes dignos de seu altar. Para que o Sumo Sacerdote faça germinar as sementes com generosidade, nos campos da Igreja, devemos ter atitudes de fé no poder da graça. E sobretudo saibamos dobrar os joelhos, e rezemos com grande humildade: “Enviai, Senhor, operários à vossa Messe” (Mt 9, 38). A graça do Espírito é mais forte do que o mal. Vislumbramos tempos melhores. Você vai apoiar novas vocações que surgirem no futuro?



xm732