Colunas
 
Santos Reis
Por: DOM ALOÍSIO ROQUE OPPERMANN
SCJ ARCEBISPO DE UBERABA, MG
 
Leia os outros artigos
 

Alguém, do alto da sua sabedoria, poderia pôr em dúvida a historicidade da visita dos Reis Magos a Belém. Realmente os dados documentais são muito pobres. O que se lê nos evangelhos não satisfaz a um historiador moderno. Em que pese haver essas dificuldades, a tradição oral (muito importante naquela época), e até os evangelhos apócrifos, nos dão um mínimo de segurança. O povo tem razão em festejar os “magos vindos do oriente” (Mt 2, 1).

Agradam-me muito as Folias de Reis, pelo seu cunho profundamente popular e cristão. É uma dessas manifestações do povo, que nada conseguiu extinguir. Nem a enxurrada de dinheiro em favor da mítica figura do papai noel (que entrou em cena apenas nos últimos setenta anos), nem o desvio de atenções em favor da distribuição de presentes, cujo sentido mais profundo ninguém mais conhece.

A população, mesmo não gozando dos privilégios de um feriado oficial, no dia 06 de janeiro celebra os Santos Reis, com pompa e circunstância.  Gostaria de realçar algumas características dessa festa.  Antes de tudo, suas poesias e sua música. São muito numerosas e simples, quase ingênuas. Não está nada misturado com os ritmos frenéticos da modernidade - não para ser contra o mundo de hoje -  mas para garantir que sua mensagem é perpétua. É gostoso ouvir sua mensagem que se refere ao Menino-Deus, a Maria e São José.

É uma manifestação profundamente bíblica. Nela não penetraram, à sorrelfa, as risadas do velhinho. Também gostaria de comentar, não as visitas domiciliares, mas a grande Festa de Reis. Essa é uma celebração que está de acordo com o ensinamento de Jesus, ao falar sobre o Reino dos Céus.  É uma festa em que todos podem comer de graça. Distribuem-se milhares de almoços (cinco mil, doze mil...).

A abundância de comida prefigura a situação dos tempos escatológicos. Lembra o milagre de Jesus da multiplicação dos pães e dos peixes. “Encheram doze cestos com as sobras” (Jo 6, 13). Caso alguém bata na sua porta, com aquele ar tímido, quase pedindo desculpas, e solicitar uma ajuda para a Festa dos Santos Reis, não negue. Você está sustentando uma grande idéia do povo. E garantindo a verdade sobre Jesus.



 
 
xm732