Colunas
 
São Brás e sua bênção
Por: Padre Wagner Augusto Portugal
 
Leia os outros artigos
 

Conhecido como um dos 14 “santos auxiliares” – grupo dos santos que, desde o século XIV são famosos, pela eficácia de sua intercessão contra várias enfermidades, São Brás, segundo a tradição, nasceu em Sebaste, na Armênia, e foi bispo dessa cidade. As informações históricas são escassas.

A lenda preencheu os vazios, adornando a sua vida com relatos milagrosos que fizeram dele um dos santos mais populares da Idade Média. Parece ter sofrido martírio durante a perseguição de Licínio, no século IV. Este mandou prendê-lo numa gruta ou cova que lhe servia de refúgio para suas fugas da cidade. Dali se aproximava, segundo a lenda, até as próprias feras para serem curadas.

Um dia, recorreu a ele uma mãe pedindo-lhe que auxiliasse seu filho que estava asfixiando-se por causa de uma espinha de peixe que se havia atravessado em sua garganta. O santo curou-o fazendo o sinal da cruz. Estando mais tarde no cárcere, a mesma mulher trouxe-lhe alimentos e velas. Daí vem à tradição de que aos que sofrem da garganta, se lhes aplica duas velas enquanto se invoca o santo.

Ele foi decapitado por volta de 316.

Que possamos pedir a São Brás que nos livre de todos os males da garganta e que possamos sempre anunciar, com força o Evangelho da Vida!



 
 
xm732