Colunas
 
A importância de São Joaquim e Sant’ana e dos avós
Por: Padre Wagner Augusto Portugal
 
Leia os outros artigos
 

Sobre os pais da Virgem Maria, não temos na Bíblia dado algum. O Protoevangelho de São Tiago, apócrifo do século II, oferece os dados de uma tradição. Nele se narra o nascimento milagroso de Maria, de pais estéreis. O anjo adverte Joaquim, depois de quarenta dias de jejum no deserto, que sua oração fora ouvida enquanto Ana o espera na Porta Dourada de Jerusalém. Vê-se que esse relato está calcado sobre o texto da concepção de Samuel (1 Sm I).

De Ana não temos nenhum dado histórico. Seu nome aparece no Protoevangelho apócrifo de São Tiago. São Joaquim tampouco aparece no texto sagrado. Como Ana, aparece pela primeira vez no Protoevangelho de São Tiago. Sua festa aparece no Ocidente, em 1522.

A festa de ambos registra-se, desde 1969, em 26 de julho. Em algumas regiões, seu culto e devoção são muito vivo. Atualmente, são muitas as igrejas dedicadas a eles, pois a tradição nos sugere que avôs de Jesus devem ser reverenciados. Foram eles que prepararam, aqui na terra, a Mãe de nosso Salvador.

O papel dos avôs na vida das crianças é muito importante. A sabedoria popular costuma dizer que avó é mãe duas vezes, porque é mãe da mãe, ou do pai. O mesmo raciocínio se usa para o avô.

Na sociedade moderna, talvez esses valores se percam ou estão ameaçados de se perder, dado o grande número de divórcios, mas cabe àqueles que ainda valorizam a família incutir nos filhos o carinho pelos avôs, pois eles podem ter um papel muito importante na formação do caráter dos netos, auxiliando, assim, os pais. Por isso rezemos por todos os nossos avós e confiemos sempre na importância da pessoa de terceira idade, pela sua santidade e experiência, na vida de todos nós. Que São Joaquim e que Santa Ana abençoem a todas as famílias.



 
 
xm732