Colunas
 
Com Maria para celebrar bem o Natal do seu Filho!
Por: Padre Wagner Augusto Portugal
 
Leia os outros artigos
 

Com Maria, a Mãe de Jesus, da Igreja e nossa amada Mãe entramos na semana final da celebração do mistério da encarnação: Natal. A Liturgia do advento nos apresenta várias pessoas que prepararam o povo para a vinda do Messias: Jeremias, Baruc, Sofonias, Miquéias, João Batista. Mas todos eles são sintetizados na atitude humilde, orante e de disponibilidade de uma Mulher que trouxe ao mundo o próprio Salvador. Quem aguarda o Salvador não pode esquecer a sua mãe. Se quisermos entrar no espírito do Natal, devemos nos aproximar de Maria.

O profeta Miquéias fala do ambiente humilde onde irá nascer o Messias. (Mq 5,1-4a) O Messias não nascerá numa cidade grande e importante, como Jerusalém,

mas num pequeno povoado desconhecido, Belém. Ele não sairá de uma família rica e poderosa, mas de uma família pobre e humilde, e agirá como um simples pastor. "Ele será a Paz" (Shallon). Este mundo novo que é um dom do amor de Deus. Será um "reino" de paz e de amor, não construído com a força das armas,

mas construído e acolhido nos corações dos homens.

No encontro de duas Mães do Evangelho do quarto Domingo do Advento: Marta e Maria se manifesta a alegria da realização das promessas de Deus (Lc 1,39-45)

Após a Anunciação, em que deu o seu "SIM" a Deus, "Maria se põe a caminho... e vai às pressas à casa de Isabel".  Maria nos ensina o melhor jeito de acolher:  estar atento às necessidades dos irmãos, partir ao seu encontro, partilhar com eles a nossa amizade e ser solidário com as suas necessidades. Por isso "Logo que entrou saudou Isabel": "Shallon".

Isabel, iluminada pelo Espírito Santo, compreendeu os acontecimentos  e exclamou com toda alegria: "Bendita és tu entre as mulheres... Lembra as Palavras dirigidas a duas mulheres fracas e desconhecidas,  Judite e Jael, de quem Deus se serviu para libertar seu povo. (Jt 13,18; Jz 5,24)

Por conseguinte Isabel pergunta a Maria: "Donde me vem a honra de que a mãe do meu Senhor me visite?" Lembra palavras de Davi ao receber a Arca da Aliança em Jerusalém...   Maria é a nova Arca da aliança, que traz a presença salvadora do Senhor no meio do povo. O menino saltou de ALEGRIA no seio da mãe.  A presença de Jesus provoca a alegria nos que esperam a concretização das promessas de Deus e que vêem na chegada de Jesus a realização das promessas de um mundo  de justiça, de amor, de paz e de felicidade para todos os homens.

"Bem aventurada és tu porque acreditaste..."  É a primeira bem-aventurança que se encontra no Evangelho. Maria é bem aventurada porque confiou na Palavra de Deus.

Então Maria responde: "A minha alma enaltece o Senhor..." É um Salmo de Ação de graças, porque Deus protege os humildes e os salva. É um Salmo de Esperança e de Confiança, porque Deus se preocupa dos pobres.

Maria é um sinal do amor de Deus, preocupado em trazer a libertação a todos.

A Liturgia do último domingo do Advento ao nos apresentar a figura de Maria como portadora da Redenção de Deus entre os homens nos ensina três coisas:

1. Levar JESUS no coração: Maria levou a Isabel o que tinha de mais precioso: Jesus.

2. A ALEGRIA de encontrar os amigos: Quando Maria e Isabel se encontraram, sentiram uma grande alegria.

3. A CARIDADE em primeiro lugar:  Maria "foi às pressas" a Isabel para se colocar a seu serviço.

Num mundo atribulado como o nosso em que o Natal tende a se tornar a festa do “papai Noel” e não de Nosso Senhor e Redentor Jesus Cristo as três atitudes de Maria devem ser as três atitudes de todos os que querem bem celebrar o Natal: Levar Jesus no coração, em atos, atitudes, palavras e não em apenas pobres palavras ou celebrações pomposas, apenas exteriormente. Por conseguinte celebrar o Natal é encontrar amigos nos presos, nos aidéticos, nos doentes, nos idosos que merecem a nossa atenção, enfim, fazendo de tudo para servir ao outro sem nada esperar em troca, a não ser a vida eterna. Por fim, de nada adianta, viver o externo, a liturgia bonita, se não há na sua vida a caridade de perdoar o outro e de acolher a todos. Na pobreza da estrebaria de Belém foi nos dado um Menino, sinal de contradição para muitos, porque primeiro perdoou, depois amou sem limites dando a sua própria vida em resgate de todos.

Celebremos bem o Natal na escola de Maria que nos leva a Jesus, na alegria de servir os amigos com caridade. Amém!



 
 
xm732