Colunas
 
Semana Nacional da Vida
Por: Padre Wagner Augusto Portugal
 
Leia os outros artigos
 

Estamos celebrando(01 a 08 de outubro) a Semana Nacional em defesa da Vida Humana. Nunca antes ouvimos falar tanto na defesa e na promoção da vida humana, desde o ventre materno até o seu término natural. As pessoas lutam por emprego e renda dignos e suficientes em vista do aumento da expectativa de vida do brasileiro. Assim são valorizados a digna e suficiente aposentadoria porque com as técnicas médicas atuais as pessoas vivem mais e, cada dia, são maiores e significativos os gastos com saúde, seguro saúde, remédios, enfermeiros e similares.

Nesse sentido a Igreja no Brasil, fiel ao mandato de Jesus, que “é o caminho, a verdade e a vida”(Jo 10,10) se coloca contra a cultura da morte e as suas malévolas manifestações como o aborto, a eutanásia, a violencia para com o idoso, os deficientes, a mulher, as crianças, sem se esquecer do flagelo da violência no trânsito e a violência urbana que gera a insegurança e os malsinados grupos de milícias que intimidam a sociedade e geram o estado paralelo ante a deficiência da ação estatal em suas três esferas: municipal, estadual e federal.

Por isso somos convidados a refletir sobre a dignidade da vida e nos opormos à cultura da morte. O tema central é “Amor e Vida” e o lema “O que fizerdes ao menor dos meus irmãos, a mim o fazeis” (Mt 25,40). A Semana da Vida é uma ocasião especial para colocar em evidência o valor e a beleza desse Dom precioso que de Deus recebemos. De modo especial salientamos o valor sagrado da Vida Humana, sem nos esquecermos de todas as demais dimensões que esta abrange. Diante de tantos ataques que a Vida vem sofrendo em nossos dias é nossa missão reafirmar sua importância inalienável e inegociável. Ela é o fundamento sobre o qual se apóiam todos os demais valores. Desejamos que todos se empenhem nestes dias nesse sentido.

Não sem angústia estamos atônitos com os acontecimentos que se sucederam contra a vida humana em nossa cidade de Boa Esperança, como o ataque da turba de pessoas sem senso de racionalidade que quebraram várias residências ao entorno do parque de exposições, na madrugada do dia 27 de setembro e outros malfeitores que saquearam uma Farmácia na madrugada do dia 04 de outubro, todas estas ocorrências sem nenhum sinal visível de que os primeiros baderneiros e os segundos larápios fossem devidamente conduzidos à delegacia e autuados mediante às penas legais.

Rezemos, pois, para que a Vida Humana seja valorizada e que o respeito pela pessoa humana, pela propriedade pública e privada, façam partes daqueles homens e mulheres, que respeitando a Deus e ao próximo vivam em paz, em harmonia social e construam a Paz, que é o fruto da justiça social.



 
 
xm732