Colunas
 
Libertação sem fronteiras
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
ARCEBISPO DE UBERABA - MG
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Dizemos que Deus sempre age no mundo através da ação das pessoas. Significa “fazer o bem sem preocupar-se com o quem”, indo inclusive além dos próprios limites. Para isto existe, a partir da Palavra de Deus, um projeto amplo e possível de libertação, tendo como finalidade atingir a todas as pessoas que vivem em condições de sofrimento, para que possam viver a abundância da vida.

A história é dinâmica e se concretiza nas atividades de quem dela faz parte. Não há como ser excluído de seu contexto, porque cada pessoa ocupa um espaço e um raio de influência, seja fazendo o bem, ou fazendo o mal, ou até não fazendo nada. O indivíduo é identificado nos seus contatos e relacionamentos com outras pessoas, que faz com que crie uma experiência de vida.

A expressão “libertação sem fronteiras” tem por finalidade envolver toda sociedade num protagonismo edificante, mesmo tendo que enfrentar contradições, dificuldades e oposições. A história tem muitas marcas de pessoas que se consumiram para deixar um legado de libertação. No nível da fé, muitos foram martirizados, derramando o próprio sangue para defender a justiça.

O caminho que fazemos na vida pode estar cheio de impecílios, barreiras, quebra molas, mas quando feito com liberdade e carinho, ele constrói o bem, muito mais quando feito com entrega total. Alguns caminhos não levam a lugar nenhum. Ainda em tempo, quando o rumo é sem esperança, tudo deve ser refeito, mesmo que custe sacrifício e mudança de mentalidade.

O complemento do ser humano está no amor, que o faz ultrapassar fronteiras no relacionamento. Ele leva ao encontro do outro e não deixa espaço para o egoísmo, o desentendimento e o ciúme. A falta de amor em relação ao outro significa também incapacidade de amar a si mesmo.

A mensagem de libertação trazida por Jesus Cristo é ampla, destinada a todas as pessoas e não tem como privatizá-la ou mesmo manipulá-la, impedindo sua força de ação transformadora. É um projeto concreto, nos moldes da globalização, sem fronteiras e capaz de construir realidades novas.

 
 
xm732