Colunas
 
Ofertar a vida
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
ARCEBISPO DE UBERABA - MG
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 


A vida é bela. É dom a ser preservado, que não pertence à pessoa, mas foi-lhe dado de graça para ser fonte de realização humana. É divina, mas o contexto de sua existência temporal é humano. Ela tem sido ameaçada em diversas circunstâncias e ferida em sua dignidade, atacada pela ampla violência na cultura dos povos.

Por traz de muitos acontecimentos está a revelação da vida, que surge de situações, às vezes, totalmente simples, sem muita evidência, mas com força de esperança e coragem. A vida se fortalece na oferta dos simples, sinal de que Deus é a sua causa motivadora. Vida ofertada é vida feliz e cheia de vitórias.

Na cruz, Cristo ofertou sua vida para resgatar a justiça para todos, mas muitas pessoas não entenderam seu propósito e não se beneficiam dos frutos da cruz. Foi um esvaziamento para superar as práticas de competição, de ciúmes e invejas que contradizem a vida cristã. Supera também a ideologia do poder e da busca de satisfação a todo custo.

O egoísmo fecha os nossos olhos para a oferta da vida. Torna a pessoa incapaz de enfrentar sacrifícios para construir uma vida com mais solidez. Temos mais disputa de poder do que de doação de vida na generosidade. A bíblia diz: “Aquele que quiser ser grande, seja o vosso servidor, e aquele que quiser ser o primeiro dentre vós seja o servo de todos” (Mc 10,43-44).

Os critérios de Cristo subvertem os valores apresentados pela ideologia que domina hoje. São critérios do Reino de Deus e não do reino do mundo. Critérios de justiça, de paz e fraternidade, que ajudam nos relacionamentos sociais. Eles são autenticados pelo testemunho coerente de vida e de doação.

Ofertar a vida é um gesto sagrado. Exige determinação e propósito firme de estar fazendo o bem. Corremos o risco da influência das ideologias do poder, que em vez de doação, suga com práticas injustas e de exploração. Com isto a vida perde o sentido de beleza e de dignidade

 
 
xm732