Colunas
 
A gratidão
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
ARCEBISPO DE UBERABA - MG
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Há uma corrida das pessoas para a realização de seu bem-estar. É uma realidade que se funda na cultura da concorrência, no endeusamento do mercado, do consumismo quase descontrolado e de um futuro incerto. Isso tudo mexe com a população brasileira mergulhada no monstro do desemprego, que afeta milhões de trabalhadores e deixa a gratidão numa penumbra de escuridão.

A expressão “por gentileza”, quase comum nos tratamentos formais entre as pessoas, faz parte do calendário de relacionamento comercial. Além da força de atração aí contida, revela também uma atitude de agradecimento pelo atendimento nas tratativas que fazem parte do envolvimento. A gratidão tem dimensão de espiritualidade e eleva, e muito, a identidade e a personalidade da pessoa.

A ingratidão descaracteriza a imagem do indivíduo. É atitude de quem desconsidera o valor do semelhante e também do benefício recebido. Foi o que aconteceu no tempo de Jesus. Dez leprosos foram curados de suas lepras e apenas um voltou para agradecer (Lc 17,11-19). Ele era um estrangeiro, diferente dos demais que viram no bem recebido como se fosse um direito, e que não precisavam agradecer.

A prática da gratidão é um dom espetacular. Por costume, a Deus pedimos muito e agradecemos pouco. Alguma coisa deve ser dada em troca dos benefícios recebidos, entre eles, o dom da vida, a natureza, os alimentos, os amigos. Há uma infinidade de coisas que nos são dados gratuitamente e passiveis de agradecimento. Podemos até dizer que a gratidão é um gesto de justiça para com o outro.

A gratidão e o louvor estão interligados. É nesse contexto que descobrimos o sentido do domingo, Dia do Senhor, dia de louvar e agradecer a Deus pelos bens gratuitamente concedidos. Mais do que um preceito, a celebração dominical expressa um coração agradecido. Para os católicos, a Eucaristia significa “ação de graças”, ação de louvor pelos benefícios recebidos durante a semana.

Na prática política, o interesse e os compromissos que a pessoa eleita, com determinação realiza pelos eleitores, expressa uma atitude de gratidão. Podemos dizer que a gratidão acontece também no trabalho realizado com responsabilidade. A gratidão é diferente de querer levar vantagem nas coisas. Muitas lideranças somem das comunidades e nem voltam para agradecer.

 
 
xm732