Colunas
 
O sal e a luz
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
BISPO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 

A função do sal é salgar, dar sabor e conservar os alimentos. Aí está o seu valor e as principais finalidades de sua existência. Realizando isto, ele está cumprindo os objetivos porque foi criado e porque existe na sua própria estrutura.

A luz também tem seus objetivos. Foi criada para clarear, dar condições para que as coisas e realidades sejam vistas, tirando o mundo da escuridão, oportunizando o progresso e a realização de tantos projetos de construção do bem.

As pessoas também são chamadas a ser luz e sal, tendo atitudes que ajudem o semelhante, prestando serviços de construção do bem e da vida, fazendo com que o mundo e a convivência entre as pessoas sejam mais saudáveis.

Na verdade, o mundo precisa de testemunhas do bem. As palavras podem ser bonitas, mas não convencem. O sal e a luz nem sempre aparecem. Testemunhos de prática fraterna, de partilha com os deserdados da vida e da convivência fraterna.

Deus está presente nos atos feitos com retidão, especialmente em quem é comprometido com o bem e luta por uma sociedade justa e igual. Isto é o que leva para o caminho da vida, com a força do sal e a iluminação da luz.

O importante é fazer uma opção fundamental pelo Reino de Deus, assumindo a transformação do mundo em busca de uma melhor forma de vida para todos. Temos que nos convencer de que outro mundo é possível.  Assim seremos sal e luz.

Numa visão cristã, o sal é a Palavra de Deus, de onde emana o sabor de um mundo defensor da vida. A luz é Cristo vivo, que renova e fortalece nosso empenho em favor dos irmãos na vivência comunitária.

Podemos dizer que o sal e a luz é a Palavra de Deus. Ela nos educa e convoca para a prática do bem. É Deus partilhando conosco sua vida e as realidades do Reino do Pai. É chamado para a superação do comodismo e do desânimo diante das dificuldades encontradas.



 
 
xm732