Colunas
 
A presença do Espírito de Deus
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
BISPO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 

Encerrando a Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos e o Tempo Pascal, dizemos que Pentecostes é a Festa da convergência de todas as pessoas acolhendo o dom total do Espírito Santo na comunidade. É o contrário do que aconteceu na Torre de Babel (Gn 11, 1-9), que representava a confusão e a dispersão.

A presença do Espírito de Deus recupera as forças perdidas, as incertezas e medos e nos une, transformando o mundo em nova criação. Somos convocados para construir uma realidade mais humana, justa e solidaria, de respeito e confiança.

Sentimos um forte sopro do mal sobre a sociedade articulando desunião, desintegração das instituições, confusão familiar, descontrole afetivo, constituindo uma verdadeira chaga de cunho social. No campo político, assistimos a desmandos e corrupções lamentáveis.

Falar de Pentecostes é atinar para outro rumo, o da unidade, do compromisso e de atitudes visivelmente responsáveis. Agindo assim, nem seria necessário um trabalho de pressão para colocar em prática um projeto de "Ficha Limpa", conforme tramita no Congresso. Isto não passa de sinal de indignação da população.

É hora de confiar na presença do Espírito Santo para realizar atos de responsabilidade. Dentro de pousos meses vamos escolher os nossos próximos representantes políticos nos diversos setores do país. O voto é uma poderosa arma contra o mal neste momento, mas tem que ser bem usado, sabendo do peso de suas consequências.

Não podemos caminhar numa cultura de confusão, de babel e dispersão. É fundamental retomar a linguagem e os critérios do amor, da comunhão, da partilha e da solidariedade. As forças de ação precisam ser integradas e caminhar juntas.

Na verdade, necessitamos de um novo Pentecostes, a presença de um "fogo" transformador da cultura despertando em todas as pessoas, principalmente nas revestidas de maior responsabilidade, o empenho para construir uma vida nova.

Temos que recuperar o nosso entusiasmo. Viver stressados e inconformados não faz bem a ninguém. Por isto, contamos com as forças rejuvenescedoras do Espírito de Pentecostes, levantando as nossas cabeças para um mundo melhor.



 
 
xm732