Colunas
 
Os eleitos do Senhor
Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO
BISPO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
www.bispado.org.br
 
Leia os outros artigos
 

Os caminnhos de Deus não são fáceis. Foram traçados para quem é determinado e capaz de assumir as suas exigências. Nem sempre isto é compreendido pelas pessoas. Elas sofrem dificuldades, reações e acabam abandonando tudo. Há dificuldades, mas não impossibilidade.

Devemos dar-nos conta da transitoriedade de nossa vida. O mundo passa, as virtudes também, mas fica o fundamental, a obra construída, o amor praticado, o desprendimento e os gestos concretos de solidariedade na verdade e na caridade.

Na vida concreta, temos que olhar para os rumos da história, para a trajetória da cultura e os passos que deverão ser dados. É um caminho de vigilância, de fidelidade e de coragem, acreditando no futuro. Mesmo com a derrata, a esperança é sempre conquista.

Não temos as dimensões do futuro. A fé coloca em nós a segurança da vida plena em Deus. Certamente acontecerá um ponto de chegada, culminando com a riqueza do amor total. Aí não haverá mais necessidade de fé e de esperança. É o auge da felicidade.

Hoje o mundo é de tribulações, de insegurança, de violência, de desrespeito pela pessoa humana e de tantas ameaças à vida. Mas é um mundo que passa na história. É um registro que apaga com o tempo. Só fica aquilo que é construído para o bem e para agrandeza de todos.

O tempo final será a justiça divina. Vão lucrar aqueles que permanecerem fiéis à lei e à prática da justiça. Os injustos não serão inscritos no livro da vida. Isto causa no povo sofrido um raio de esperança e de ânimo na recompensa eterna.

É importante a oferenda que fazemos na vida. A oferenda maior é a própria pessoa no seu desgaste, enfrentamento e capacidade de doação. Não importam as condições individuais. Sim o mundo das relações injustas e opressivas que destróem a criação.

Enfim, os eleitos do Senhor têm um compromisso de construir a globalizacao da justiça, da solidariedade e de atenção permanente pela Criação. O cuidado com o hoje antecipa aquilo que deverá acontecer no futuro.



 
 
xm732