Colunas
 
Verbum Dei – A palavra de Deus como notícia eterna aos homens.
Jerônimo Lauricio - Bacharel em Filosofia.
E-mail: jeronimolauricio@gmail.com
 
Leia os outros artigos
 

É interessante perceber como os valores permanentes não têm sabor jornalístico. No itinerário da vida a gente ver, por exemplo, que nenhum jornal noticia o fato de um casal está vivendo bem há trinta ou quarenta anos. Mas, se acontecer entre eles uma desavença, o assunto possivelmente aparece em alguma coluna social. É triste, mas é verdade: hoje o bem não é notícia.

Andei pensando nisso, ao entrar no mês de setembro dedicado à Bíblia, e mais uma vez dentro do clima da primavera, sentir que a Bíblia não envelhece, ao contrário sempre se renova, tal com as flores. Continua a ser notícia, porque participa do otimismo de Deus. Continua a dar notícia d’Ele para milhões de pessoas, com sabor de novidade daquele que não envelhece, porque é eterno. É a semente sempre viva, capaz de fazer nascer novas searas. É o Eterno fazendo-se contemporâneo da história dos homens e transformando-a em História da Salvação. É o “humano e o Divino dando-se as mãos” à beira da estrada da vida. A Bíblia é isso... E porque não dizer que ela é também de certo modo o elo e a ponte que une ambas as realidades, já que atualiza a presença da eternidade, tornando homem e Deus a cada dia e a cada experiência, mais íntimos e amigos.

No exercício do Cristianismo não é difícil compreender o sonho do Deus para o homem traduzido em cada fragmento bíblico. Sobretudo quando pela Encarnação do Verbo, a palavra Eterna se faz Deus-Conosco. Jesus Cristo é a Palavra de Deus – “Verbum Dei” como diria os latinos. Ele é como foi dito com propriedade e elegância, a “exegese do Pai”, isto é, Aquele que nos traduz e revela o Pai.  E o bonito neste processo é que na liturgia de nossas celebrações Eucarísticas, isso se evidencia com mais expressão e clareza. Verdadeiramente é um presente toda a riqueza de nossa missa, porque por ela nos sentamos à Mesa do Corpo do Senhor, após nos alimentarmos da Mesa de sua Palavra. Neste universo sacramental se cumpre também o movimento do “Et Verbum caro factum est”- o dinamismo salvífico do Verbo tornar-se carne. O Verbum Dei da Liturgia da Palavra, isto é, a notícia de Deus aos homens, se torna alimento e vida na Liturgia Eucarística e traduz por assim dizer, o Eterno para o temporal.

De fato riqueza igual não há, de uma Palavra que se faz semente e que ser cultivada na seara da existência e no jardim do coração humano. Riqueza de uma noticia que se faz sempre tão nova e cheia de significado. Que não se esgota jamais, porque sua fonte é um eterno começo e amplia o horizonte daqueles que a abraça.

 Que tenhamos, portanto a cada dia a disponibilidade de ecoar nos ambientes de nossas relações a notícia de que a bússola que orienta a nossa vida é a Palavra de Deus. A notícia de que por ela somos guiados no curso da existência atribuindo-lhe desta maneira pleno significado. E que ancorados nesta Palavra, ainda que venha as chuvas de todas as contradições, os vendavais de todos os erros, a enxurrada de toda desesperança pretendendo derrubá-los, os que ouvem e crêem nela, permanecem firmes e de pé traduzindo beleza e vida, tal como as árvores da primavera, pois Deus está com eles.



 
 
xm732