Colunas
 
Tempo do Espírito Santo!
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

O sexto domingo do tempo pascal é muito sugestivo, porque ele já tem um gostinho de despedida de Jesus. Jesus veio do Pai e retorna para o Pai. Mais ele avisou que enviaria uma maneira, pela qual, ele ascendendo ao céu, a sua presença seria sentida entre os homens e mulheres que peregrinam neste mundo: a presença dos dons do Espírito Santo.

Contra todo o desânimo e desesperança humana Jesus consola e enche de ânimo aos seus discípulos, dirigindo-lhes pela sua Palavra de Salvação e pala presença do Divino Espírito Santo, para que eles vivam em conformidade com o que experimentaram junto ao Senhor e partem em missão. Eles são enviados para anunciarem Jesus Cristo e para praticarem a caridade. Isso porque a fidelidade aos mandamentos é o grande sinal do amor que o discípulo-missionário tem pelo Mestre. O mandamento novo do amor se concretiza na caridade, na ajuda aos mais necessitados, conforme nos exorta a oração da coleta deste domingo: "dai-nos celebrar com fervor estes dias de júbilo em honra do Cristo ressuscitado, para que nossa vida corresponda sempre aos mistérios que recordamos".

Uma pergunta deve ser feita a todo o batizado nesta semana: como tem sido a sua fidelidade ao Senhor Ressuscitado. Só é fiel quem cumpre o mandamento dos mandamentos: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo". Amar por completo, não da maneira que muitos fariseus fazem. O pior fariseu é o hipócrita que se traveste de santinho, de muitas vezes doentinho, mais por dentro é um perverso, é um verdadeiro demônio.

O testemunho é fundamental quando ele é coerente no que se aparenta para os outros e no que se vive. Não há maledicência maior do que pessoas que vivem sorrindo aos irmãos e, por trás, demonstram o que sempre foram: anjos decaídos do mal. O testemunho daqueles que, no Senhor Ressuscitado, se amam, deve sempre se transformar em missão, na prática da caridade, no anúncio do Evangelho, na vitória contra o egoísmo e a perversidade.

Rezemos, para que à luz do Divino Espírito Santo, surjam missionários dispostos a largar as suas terras e dedicar a sua existência ao anúncio da Boa-Nova.

No nosso cotidiano somos convidados a anunciar e viver a caridade, que é o resultado prático do amor a todos, particularmente àqueles que nos incomodam ou são mais inteligentes do que nós. Vamos nos alegrar com quem sabe colocar os seus dons em favor da comunidade sem nada querer em troca.
Peçamos, com fé, as luzes necessárias do Divino Espírito Santo.

 
 
xm732