Colunas
 
Ser luz de cima do monte!
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Este segundo domingo da quaresma, neste grande retiro em que a Mãe Igreja nos propõe, somos chamados a escutar, de maneira atentamente, a Deus e observar o que o Senhor nos pede, na conversão.

Abraão deixou a sua terra, foi sinal da presença de Deus em outra terra. Abraão colocou-se a caminho, como peregrino, confiante na Palavra de Deus, deixou tudo para traz, e foi, apenas confiando em Deus, ao encontro da Terra Prometida.

O Evangelho de Mateus 17,1-9, nos propõe hoje a caminhada de Jesus, quando ele anuncia, pela primeira vez, a sua Paixão. Os discípulos pensavam com os critérios humanos. Por isso Jesus, sobe ao Monte Tabor, acompanhado de Pedro, Tiago e João, revelando-lhes a glória da divindade, aonde os discípulos reaproximaram-se da alegria e da paz.

O primeiro resultado da subida ao Monte Tabor é a resposta a interrogação dos discípulos: Quem é Jesus? E do céu vem a resposta: "Este é o meu filho amado, escutai-O". E, dentro da aventura bíblica, está ali como testemunhas Moisés e Elias, homens que foram fiéis e obedientes ao projeto do Pai.

A nossa caminhada neste mundo consiste em mostrar o Messias, em apresentar Jesus ao mundo como Messias, como Profeta, como Legislador.

Por isso vamos nos conduzir nesta semana pelo Tabor. Vamos subir o Monte que é Cristo. Muitas vezes seguir ao Senhor é difícil. Queremos desistir, desanimar, mas é o Senhor Jesus Sacramentado que nos dá a força necessária para não desanimar, para viver com esperança, contemplar o Senhor Transfigurado , e descendo o monte, valorizar a vida. Não a vida do pecado.Mas a vida da graça, respeitando as etapas desta conversão, sincera, paulatina e profunda, sem medo de reconhecer-se limitado, pecador, menor, pedindo a graça de mudar, de renovar, de ouvir a voz de Cristo para que sejamos, verdadeiramente, homens que sejam luz para o mundo e para a Igreja.

Com Paulo tenhamos a audácia de perder a timidez e viver o testemunho da fé, para sermos verdadeiras testemunhas de Cristo, que nós oferece a sua luz, para iluminar o mundo e transformá-lo em um mundo de paz, de caridade para que a "luz de Cristo possa entrar em nossos corações".

 
 
xm732