Colunas
 
O cordeiro pastor da humanidade
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

Estamos de tal forma acostumados e satisfeitos com a imagem romântica de Jesus pastor que dificilmente conseguimos atinar para o alcance de significado que João quis atribuir a essa comparação. De fato, lido dentro de seu contexto, o episódio do Bom Pastor adquire matizes particulares, permeados de conflitos.

O capítulo 10 de João continua a temática do capítulo 9, a cura do cego de nascença, onde fica evidente quem são os verdadeiros cegos: a instituição religiosa daquele tempo, com seu aparato legal e articulações políticas, em aberta oposição e hostilidade a Jesus.

Jesus é o verdadeiro Messias consagrado por Deus e não pelo Templo. Ele é o único capaz de libertar os oprimidos (representados pelo cego de nascimento), conduzindo-os para fora, para o novo modo de ser, pois Ele é a porta, a única alternativa. Ele inaugura, assim, o novo e definitivo êxodo do povo de Deus, sendo aceito por aqueles que aderem a Ele (as ovelhas que conhecem a sua voz) e o seguem, e rejeitado pelos que se recusam a segui-lo ( os dirigentes religiosos que não são suas ovelhas).

O texto retoma temas já abordados. Os versículos 27-28 salientam a estreita relação entre Jesus pastor e suas ovelhas. É uma relação de reciprocidade: as ovelhas escutam a voz do pastor. E o pastor, por sua vez, conhece suas ovelhas, uma por uma e as chama pelo nome (Ele sabe quem aderiu ao seu projeto e quem o hostiliza). A comunicação se concretiza no seguimento.

Aos que o seguem o pastor dará a vida eterna, ou seja, a vida definitiva, que no evangelho de João é caracterizado pelo dom do Espírito.Essa vida que o pastor comunica dura para sempre, pois supera a morte.
Por outro lado, ninguém poderá arrebatar as ovelhas da mão de Jesus, pois Ele é o pastor que as defende contra os lobos, assaltantes e ladrões. Ele não é como os pastores mercenários que visam aos próprios interesses e, ao chegar o perigo, procuram salvar a própria pele. Ele é o pastor que dá a vida.

O versículo 29 põe em cena o Pai que confiou todo o projeto e sua realização nas mãos de Jesus.

Jesus é o novo Templo no qual o Pai revela e leva a cumprimento a nova humanidade. Criticar e rejeitar Jesus é criticar e rejeitar o Pai, pois Eles são um.

 

 
 
xm732