Colunas
 
Vitória Tu Reinarás: Revivendo este tempo santo!
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

A Semana Santa, que se iniciou com a chegada triunfante de Jesus a Jerusalém, nos traz um convite especial: perceber o quão grande é o amor de Deus para conosco e nos renovar no amor Daquele que deu a vida por nós. Além disso, a Semana Santa, a Semana Maior, nos convida a viver a fraternidade, o amor ao próximo e a humildade.

Durante toda a quaresma nós tivemos na Igreja um momento para a reflexão pessoal, onde avaliamos nossas ações, pensamentos e atitudes, ou seja, nossa vida. Como a Igreja é sábia! Como Mãe e Mestra ela nos ensina a melhor seguir a Jesus seu Esposo e Cabeça do Corpo Místico. Ainda estamos em um momento triste, momento em que esperamos ansiosamente a Ressureição de Cristo, mas sabemos bem que para haver ressureição é necessário passar pelo martírio, a pior das condenações dadas a qualquer malfeitor do tempo.

Nestes momentos dolorosos temos que nos valer da companhia de Maria Santíssima e também, fazer-lhe companhia nessa hora sombria de dor e sofrimento. O Santo Padre Bento XVI em sua homilia da Missa da Ceia do Senhor no ano de 2012 nos falou: “Jesus embrenha-se na noite. A noite significa falta de comunicação, uma situação em que não nos vemos um ao outro. É símbolo da não compreensão, do obscurecimento da verdade. É o espaço onde o mal, que em presença da luz tem de se esconder, pode desenvolver-se. [...] Esta em última análise, é símbolo da morte, da perda definitiva da comunhão e de vida. Jesus entra na noite para a superar, inaugurando o novo dia de Deus na história da humanidade.”

Jesus em sua passagem pela terra nos ensinou muitas coisas, o não ter medo da morte, também ensinou que identidade do cristão é, além do “vem e segue-me”, a prática pessoal do Sermão da Montanha. Nesta passagem, Jesus nos dá os pré-requisitos para a vivencia da fé e no seu seguimento. Não é fácil o seguimento do Mestre, o próprio Jesus nos diz isso no sermão: “Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e rejubilai, pois será grande a vossa recompensa no reino dos céus [...]”

Banhados nas bênçãos e renovações que Cristo nos dá, devemos viver do amor, da fraternidade e da humildade. Tais ações são provadas quando o próprio Redentor, que é Senhor e Mestre, mas numa atitude de ensino, ignora as regras sociais - que na época já existia - quando se posta humildemente aos pés de seus discípulos e lava cada pé em sua última ceia, e que ainda afirma “Se eu, pois, sendo Senhor e Mestre, vos laveis os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros porque vos dei exemplo, a fim de que, como eu fiz, assim façais vós também” (cf. Jo 3, 14-15), com isto, Jesus nos convida a sair do nosso egoísmo, nos mobilizarmos e irmos de encontro aos próximos, desprezando qualquer barreira, medos, inseguranças e nos cobrimos de generosidade.

 
 
xm732