Colunas
 
Arrependimento e fé!
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

O tempo comum, na vida da Igreja Católica, nos ajuda a descortinar diante de nossos olhos as sutilezas do nosso caminhar neste mundo na meta de alcançar o céu. Por isso neste domingo queremos lembrar e rezar muito pelo Papa Francisco que está nos ensinando a testemunhar e a viver a MISERICÓRDIA. Deus não quer que o pecador morra, mais sim que ele se converta e viva. A liturgia deste terceiro domingo do tempo comum pode ser sintetizada no binômio: arrependimento e fé!

Tudo passa no mundo: a beleza, o tempo, o espaço, só não passa a Palavra de Deus, como aquela que foi dirigida pela segunda vez a Jonas: “Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive e anuncia-lhe a mensagem que eu te vou confiar”(Jn 3,1). A nossa vocação é de peregrinos. Nós sempre peregrinamos para anunciar a boa nova do Reino de Deus. E, para viver nosso batismo, em primeiro lugar nós devemos pedir perdão de nossos pecados.

Qual foi a última vez que você se confessou? Não aquela confissão apressada, sem compromisso de uma mudança radical de vida, de abandono do pecado e de busca da vida piedosa. Vamos observar que Jonas, durante três dias, peregrinou por Nínive para anunciar a sentença de Deus: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída!”(Jn 3, 4).

Por isso ao anúncio da mensagem divina, os habitantes de Nínive fizeram jejum, vestiram sacos de penitência, desde o superior ao inferior. Foi esta conversão profunda e de mudança de vida dos ninivitas que, afastando-se do mal caminho, Deus concedeu a eles o perdão dos pecados e a sua cidade foi poupada do castigo divino. Devemos acreditar e viver com os olhos fixos em Deus, afastando-nos de tudo o que é caminho do mal, do pecado, da ausência de Deus e procurar viver uma vida virtuosa, vivendo conforme a vontade de Deus.

A pregação de Nínive faz uma “ponte” com o Santo Evangelho: “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!”(Mc 1,15).

A conversão é urgente, ela não pode esperar. Para seguir a Jesus é necessário antes abandonar o pecado, a vida desregrada e buscar o caminho virtuoso das coisas do céu: “Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, vossa verdade me oriente e me conduza!”(Sl 24).

Sim os caminhos de Deus são caminhos de virtude e de graça como nos ensina São Paulo: “Os que têm mulher vivam como se não tivessem mulher; e os que choram, como se não chorassem, e os que estão alegres, como se não estivessem alegres; e os que fazem compras, como se não possuíssem coisa alguma; e os que usam do mundo, como se dele não estivessem gozando. Pois a figura deste mundo passa!”(1Cor 7,29-31).

Este apelo ingente de Jesus para a mudança de vida nos traz uma recompensa que ninguém poderá retirar: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens!”(Mc 1,17). O seguimento de Jesus é sempre daqueles que são solícitos em atender quem mais precisa. Jesus busca e carrega, em seus braços divinos, quem tem mais dificuldades. Por isso peçamos a Deus para converter o nosso coração e andar no seu caminho, com arrependimento e fé, que somente Ele nos liberta do pecado e nos introduz na sua amizade. Pois a figura deste mundo passa!

 
 
xm732