Colunas
 
A palavra de Deus é libertadora e vivificante
Por: DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.
 
Leia os outros artigos
 
Para enviar esse texto automaticamente no FACEBOOK, clique no botão abaixo:
Você tem muitos amigos e envia e-mails para todos? Então você pode enviar esse artigo para todos seus amigos de uma única vez, basta copiar a url abaixo e colar em seu e-mail.
Para enviar manualmente, copie CTRL C o código acima e cole CTRL V no mural ou mensagens de e-mails dos seus amigos:
Leia os outros artigos
 

O capítulo 8 de Romanos pode ser resumido nesta frase: a vida no Espírito. Neste capítulo, Paulo apresenta os princípios básicos que orientam a vida do cristão: o Espírito que comunica vida e a filiação divina.

Os versículos da liturgia deste domingo são o desenvolvimento do primeiro princípio básico que orienta a vida do cristão: o Espírito que comunica vida.

Para São Paulo, há uma força capaz de quebrar o circuito fechado do egoísmo, pecado e morte. Essa força é o próprio projeto de Deus revelado em Jesus morto e ressuscitado, que comunica seu espírito.

Aderir a Jesus na fé e assumir o Batismo enquanto compromisso com o Espírito de Jesus é a forma de passar de vida segundo a carne à vida segundo o Espírito. Em Jesus, Deus anistiou a humanidade envolta e arrastada pelo egoísmo. Com a ressurreição de Jesus, fomos feitos vitoriosos e ressuscitados com Ele, aptos a possuir a vida em plenitude.

Contudo, passar da vida segundo a carne à vida no Espírito não é um gesto mecânico, mas comporta grande dose de risco, desafio e morte às obras do corpo. É fruto de opção consciente, acompanhada pelo sério compromisso de viver segundo o Espírito que animou Jesus, que é o Espírito de vida. Portanto, fazer viver em nós "o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos" é reproduzir na nossa condição humana aquelas opções de vida que orientaram Jesus até o fim, passando do egoísmo à doação plena; é recompor o ser humano, que não é vítima de fatalismo cego, mas construtor da vida que reflete a própria vida que Deus deseja à humanidade. As relações sociais adquirem sua verdadeira feição, eliminando tudo o que possa conduzir à injustiça e à morte.

É necessário que estas palavras de São Paulo calem fundo no nosso coração e na nossa mente para que a entendamos e a coloquemos em prática.

Deus quer para nós a felicidade, mas o caminho para a felicidade não é o caminho mais fácil.

 
 
xm732