Colunas
 
Até quando clamareis sem ser atendido, Senhor?
Por: Claudio Silva Borges
Paróquia Santuário Nossa Senhora da Paz e Comunidade de vivência igreja São José do Tabor.
São Paulo - SP
 
Leia os outros artigos
 

Interessante, nós nos parecemos deuses, por que até parece que é nós que estamos no comando, nós quem ditamos as regras, e Deus às tens que obedecer.

Quando nos encontramos em situações de abandono, enfermidade, dificuldades familiares ou mesmo dificuldades financeiras, tendemos a exigir do Pai uma solução imediata a nossos anseios. Nada mais justo, correto?

Porém nesses momentos, seria bom termos diante de nossos olhos as seguintes perguntas:

"Sou uma pessoa perseverante diante de Deus para exigir alguma coisa D'Ele?"

"O que estou pedindo no momento está em conformidade com a vontade de Deus ou com minha vontade apenas?"

"É esse o tempo de graça que Deus quer me conceder?"

É preciso que tenhamos um coração agradecido e que Deus seja Deus e nós sejamos nós mesmos, cada um com sua qualidade, virtude, dom, e Deus supremo e bom que és.

Encontramos milhares de pessoas que confundem suas vontades e seu tempo como sendo os de Deus, abandonam sua fé, e até querem descaracterizar os que crêem. Na dúvida, acendem uma vela para o Senhor e outra para o maligno, isto é, pedem confiantemente ao Deus vivo e ressuscitado, Jesus, mas ao mesmo tempo pedem o que precisam a outros deuses e crendices.

Lembre-se de uma coisa: " Se Deus não pode fazer algo por você, no tempo certo, e eu creio que pode, ninguém mais pode".

"O que mais falta a muitos cristãos e ser cristão". (J. Alzin)

É preciso caminhar sem medo.



 
 
xm732