Colunas
 
A coisa mais fácil? Errar.
Por: Claudio Silva Borges
Paróquia Santuário Nossa Senhora da Paz e Comunidade de vivência igreja São José do Tabor.
São Paulo - SP
 
Leia os outros artigos
 

Toda culpa nos traz a sensação, que estamos errados, somos maus, destruindo nossa auto-estima e amor-próprio.

Ao nos sentirmos errados, inconscientemente, buscamos
nos punir das mais diversas formas, nos destruindo, nos impondo sofrimento, adoecendo.

A utilização do corpo pode ser um meio de autopunição através do sofrimento e autodestruição representando uma reação e defesa proporcionada pela culpa.

Outra forma de autopunição é o afastamento das pessoas, o isolamento. Nada fica, a não ser as culpas que causam doenças. Não é a culpa a única companheira do solitário, mas, sim se torna solitário quem acredita na culpa, quem reprime a si próprio, quem se deixa levar pelas palavras e pensamentos da ignorância dos outros.

Errar é mais do que humano, faz parte da aprendizagem e durante nossa vida estamos sempre aprendendo. Essa conscientização que havemos de ter acontece através de nossas experiências vivenciadas através do tempo e nunca pelo medo.

Afinal, respeito se conquista não se impõe. É muito diferente não fazer algo por respeito do que não fazer por medo de ser punido, abandonado, rejeitado, não amado.

Deus é mais, e quer absolver toda a sua culpa e erros, volte para ele contrito de coração e nunca mais se desgarre.

 
 
xm732