Colunas
 
Vinde a mim, benditos de meu Pai...
Por: Claudio Silva Borges
Paróquia Santuário Nossa Senhora da Paz e Comunidade de vivência igreja São José do Tabor.
São Paulo - SP
 
Leia os outros artigos
 

Nós, filhos e filhas chamados pelo Senhor fomos à hora oportuna pelo Seu amor, que Lhe recebemos o perdão incondicional, dando-nos o ensejo abençoado de trabalhar em sua Seara de paz, de amor e de caridade, para estender-lhe os braços da caridade e do bem, esforcemos-nos o quanto nos for possível, para imitar-lhe as lições de humildade e de obediência, de desculpa e de perdão para que, não venhamos a maltratar-lhe a Obra.

Não por medo de que ela se transfigure com o nosso proceder indigno, e sim, pelo pranto e pela vergonha que nos aguardarão indiscutivelmente, se nos afastarmos uma milésima parte de sua pureza inicial.

“Vinde a mim, benditos de meu Pai, que me deste pão quando tive fome; estive preso e fostes me visitar”.

Ao faminto, dá um pedaço de pão. Ao intelecto, ao que tem fartura, dá o entendimento e o perdão.

Dá ao pobre; dá ao rico. Dá sempre ao filho e filha, de acordo com as circunstâncias de cada um. Não firas, não maltrates. Sempre desculpe em nome do Senhor!

A Justiça Divina, manifesta neste Universo que nos circunda, está amparando a cada um de nós, embora aos nossos olhos ignorantes e egoístas, se esqueça de socorrer-nos.  

Deus é por nós, quem será contra nós?



 
 
xm732