Colunas
 
Introdução às Confissões de Santo Agostinho Capítulo 3
Por: Adriano José Gonçalves
Paróquia Santuário de São Judas Tadeu
Sete Lagoas - Minas Gerais
E-mail: sharingamn@gmail.com
 
Leia os outros artigos
 

Porém, é justo indicar um livro apenas pelo seu autor? Talvez não seja. Então por que ler este livro? Como já foi dito, este livro dialoga com o leitor. Este talvez seja seu segredo para ter resistido ao tempo.

As Confissões eram, são e continuarão sendo um livro atual. Passam-se os tempos, e DEUS permanece como o grande mistério e desafio dos povos. Ler estas Confissões é deparar-se com os desafios de alguém que viveu há mais de 1500 anos atrás, e notar que ainda assim encontramos particularidades que chamam nossa atenção.

Por quê? Porque encontramos parte de nossas próprias confissões nesta leitura. Os teólogos católicos geralmente concordam com a crença de Santo Agostinho de que Deus existe fora do tempo e no "presente eterno"; o tempo só existe dentro do universo criado. Assim também são as “coisas de DEUS”. O tempo não as consome. Passam-se os anos, no entanto, DEUS permanece sempre.

E a experiência de DEUS que Santo Agostinho ainda é válida, e repercute dentro de quem a acompanha. O caminho das Confissões é um caminho pessoal, e ruma para dentro de si mesmo (ou como Santo Agostinho dizia: “Não fuja de você mesmo, mas volta para dentro de você; em seu coração habita a verdade").

É um livro enriquecedor. Faz pensar. Mexe com os sentimentos. Aguça a fé. Tem seu lado místico. Ensina muitas coisas, e incita tantas outras. Santo Agostinho faz sua auto-acusação. Não quer atenuante algum.

Apenas fica diante de DEUS, e aguardo o veredicto DELE. DEUS o conhece. Sabe de suas forças e fraquezas. Conhece seu potencial, sua capacidade, e vê o que ele tem atingido. Santo Agostinho têm estas certezas. Acredita nisto com fé decidida. Por isso, acolhe em cada momento da sua vida a presença de DEUS (ELE que está sempre mais próximo de nós do que supomos, “mais íntimo a nós do que a nossa própria intimidade”). DEUS sempre está no centro de tudo. Sempre é o centro de tudo. É o Supremo Bem, que irradia força e amor sobre cada um.

Ler este livro, com mente e coração abertos, é mergulhar numa sólida e bela visão de DEUS. É passar por um caminho, enquanto busca-se o seu próprio. Santo Agostinho provavelmente não te dará muitas respostas.

Talvez não dê nenhuma sequer. Mas nem era este o seu objetivo. Ele veio mostrar que o caminho está aberto. Existem muitas vias para o crescimento pessoal. E DEUS está aí, esperando por isto. Esperando atitude.

O caminho está aberto. Todavia, cada um tem de encontrá-lo por esforço e mérito próprio... Ninguém abrirá portas que estão reservadas para você. Porém, estas portas não se abrem sozinhas. É preciso que você queira abri-la. Que você a busque. Que você a encontre.

Que seja capaz de olhar o que ela esconde. Que tenha coragem de enfrentar, seja o que for. Que acredite. E assim, que possa passar adiante, e buscar o que é realmente seu. DEUS está aí. Espera que a sua fé seja realmente decidida. Espera que acredite. Que confie. Que queira. Que saiba... É muito importante realmente saber. Crer e saber, este é o grande lema agostiniano.

 



 
 
xm732